Da sala de aula para o Twitter

Professor conseguiu tirar os alunos da sala de aula e deu outro significado para as aulas de direito. "O Twitter poderia ser a maior sala de aula do mundo", diz.

Por: Catraca Livre
Divulgação
Mazza conseguiu tirar os alunos da sala de aula

Depois de cinco anos de seu lançamento, o Twitter continua sendo uma das formas mais rápidas e práticas para se atualizar, se comunicar e estudar, o professor de direito Alexandre Mazza é a prova viva.

Após se formar pela PUC e dar aulas durante dez anos com renomados professores da área, Mazza viu potencial na rede social que ainda é pouco explorada pela maioria dos acadêmicos. “Entrei no Twitter sem muita convicção”, comenta o professor que agora usa a ferramenta como uma extensão do que ainda faz dentro da sala de aula: ajuda o aluno de direito a ultrapassar uma das maiores barreiras da profissão, o exame da OAB.

“Eles começaram a ler e repassar aos seus seguidores. Muitos liam e respondiam via celular, direto da balada, do serviço, do ônibus. Foi aí que eu acordei para a revolução que estava se anunciando. O Twitter poderia ser a maior sala de aula do mundo”, profetiza o professor que assume que se sentiu perdido em seu primeiro contato com a rede. Hoje, seu perfil tem mais de 100 mil seguidores, e foi considerado pelo Jornal Carta Forense como “a personalidade do mundo jurídico mais influente nas redes sociais”.

O caso de Alexandre é um exemplo de como as redes sociais podem ser o futuro da comunicação. Selecionar o que lhe é útil é o primeiro passo para não ser refém do excesso de informação que ronda a Internet 2.0. “Obviamente, o professor é igual ao aluno. As redes sociais podem ajudar as pessoas a entender isso”, exclama. E ele não está errado. O crowdsourcing (ferramenta utilizada por meios de comunicação para obter informações de seu próprio público) é  um dos melhores termômetros para a mídia atual. Na era do “I-Centric”, ou jornalismo voltado para o “eu”, perfis como o de Mazza valem ouro.

Alexandre criou um sistema pioneiro de revisão para provas pelo Twitter. O aluno marca um horário e ele tira todas as dúvidas. Algumas revisões são acompanhadas por até 10 mil pessoas. Então, da próxima vez que lhe falarem que passar muito tempo na Internet pode ser um desperdício, mostre seu certificado de aprovação!

Compartilhe: