Síndrome do ninho vazio: como reagir à viagem de intercâmbio?

Mães são as mais atingidas pela síndrome do ninho vazio. Entenda os motivos

Por: SEB (Sistema Educacional Brasileiro) | Comunicar erro

Os jovens estão deixando o seio familiar, às vezes para bem longe, cada vez mais cedo. Seja para estudar fora do país em um programa de intercâmbio ainda no Ensino Médio ou mesmo para trilhar seu caminho rumo à fase adulta.

Ainda que todos saibamos que o ciclo natural da vida resulta na independência dos filhos, a dor da separação se torna inevitável.

Com ela, a solidão pode passar a fazer parte da rotina e, não superada, se tornar um transtorno grave e prejudicial. Nesse caso, talvez você não saiba, mas pode estar sofrendo da síndrome do ninho vazio.

Crédito: Getty ImagesMães são as mais atingidas pela síndrome do ninho vazio

Mas afinal, o que é a síndrome do ninho vazio? 

Segundo o psicanalista Dr. Geraldo Caldeira, isso acontece porque “seres humanos necessitam de complementação e quem nos dá isso são os nossos filhos, que naturalmente nos preenchem”. E, em função do elo maternal estabelecido na infância, o transtorno atinge sobretudo as mulheres.

Assim, por conta do grande vazio existencial causado pelo distanciamento, ainda que provisório em alguns casos, os pais tendem encarar a mudança de forma negativa.

Além disso, vale destacar o peso da personalidade dos pais e o quanto isso influencia na partida dos filhos. Ou seja, quando a partida é por um motivo positivo, como estudo, casamento ou oportunidades profissionais, essa ruptura tende a ser menos dolorosa.

Quais são os sintomas mais comuns?

A síndrome do ninho vazio apresenta-se por meio de alguns sintomas. Pode surgir de forma moderada ou, com menos incidência, severa.

Casos mais graves, que beiram a depressão, precisam ser solucionados com ajuda especializada. Conheça alguns sintomas:

  • Conflitos entre o casal (no caso de os pais morarem juntos)
  • Desmotivação por não saber o que fazer com o tempo livre
  • Distúrbios alimentares e do sono
  • Diminuição da libido
  • Doenças recorrentes (gripe, alergias)
  • Falta de cuidados pessoais (higiene, aparência, saúde)
  • Isolamento e depressão
  • Sentimentos de abandono e melancolia

Como enfrentar a síndrome?

Uma das formas ideais de superar essa fase é transformá-la em um momento de alegria. “Quem está sofrendo com a síndrome do ninho vazio precisa tomar providências para lidar com isso; tem que buscar preenchimentos”, afirma Dr. Caldeira.

Por isso, é necessário dar novo sentido à vida após a saída dos filhos de casa, encontrando novos objetivos e projetos que tirem o foco do filho ausente. Portanto, se ele está em outra fase da vida, estudando em outro país e preparando-se para ter um futuro profissional de sucesso, isso é motivo de orgulho.

Para ajudar você a driblar a síndrome do ninho vazio, elencamos algumas dicas. Confira aqui! 

1 / 8
1
30s
Onde ou Aonde?
Responda rápido: "Onde você quer ir jantar?" ou "Aonde você quer ir jantar?". Qual a resposta correta.
2
34s
Use “anexo” corretamente
Na hora de enviar um e-mail corporativo, você sabe como escrevê-lo corretamente?
3
34s
Senão ou se não?
Aprenda quando usar o "senão" ou "se não".
4
33s
Presente do Subjuntivo
Aprenda a usar corretamente o Presente do Subjuntivo.
5
02:13
O estilista que ensina de crochê em penitenciária masculina
O projeto Ponto Firme, criado pelo estilista Gustavo Silvestre, tem como objetivo transformar a vida de detentos de uma penitenciária …
6
01:47
Como se apaixonar por Bach – Lição 10
Curso "Como se apaixonar por Bach", com o maestro e pianista João Carlos Martins.
7
01:48
Como se apaixonar por Bach – Lição 9
Curso "Como se apaixonar por Bach", com o maestro e pianista João Carlos Martins.
8
01:30
Como se apaixonar por Bach – Lição 8
Curso "Como se apaixonar por Bach", com o maestro e pianista João Carlos Martins.