A OBA precisa de sua ajuda para premiar os alunos vencedores

Por: Redação

A 19ª Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA), um projeto educacional que incentiva o estudo da ciência em escolas públicas e particulares de todo Brasil, aconteceu em 13 maio deste ano, mas por falta de verba não conseguiu dar as medalhas para os alunos premiados.

A explicação é de que a renda do governo destinada à competição, viabilizada pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e MCT (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação), foi metade do valor das edições passadas.

 Divulgação/OBA
Alunos vencedores da 9ª edição da Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (OIAA), em 2015, na Indonésia

Por conta deste corte, as medalhas não foram encomendadas a tempo pelo comitê organizador – Sociedade Astronômica Brasileira (SAB). De acordo com o astrônomo e professor João Batista Canalle, coordenador da OBA, 50 mil medalhas precisam ser produzidas.

“A distribuição de medalhas começa em outubro e ainda não temos verba para confeccioná-las”, disse Canalle. É por isso que a OBA precisa da sua ajuda. Por meio de uma “vaquinha” on-line serão arrecadados recursos para a entrega das medalhas.

A meta é conseguir reunir R$170.455,00. Para contribuir com o projeto clique aqui. As doações são a partir de R$ 20, com recompensas variadas. A campanha de crowdfunding segue até setembro de 2016.

Além da distribuição das medalhas, o dinheiro angariado vai ajudar os alunos selecionamos para representar o Brasil na International Olympiad of Astronomy and Astrophysics (IOAA), na Índia, e também na Olimpíada Latino Americana de Astronomia e Astronáutica (OLAA), na Argentina.