Últimas notícias:

Loading...

Anderson do Molejo se manifesta sobre acusação de estupro na web

O cantor comparou o caso com uma ida ao bar: 'Entrei no boteco'

Por: Redação
Ouça este conteúdo

O vocalista do grupo Molejo, Anderson Leonardo se manifestou sobre a acusação de estupro contra ele em uma live realizada no Instagram, na noite desta quinta-feira, 6. O cantor comparou o suposto abuso com uma ida ao ‘botequim’.

Homem de 21 anos acusa o vocalista do grupo Molejo de estupro
Crédito: Reprodução/InstagramHomem de 21 anos acusa o vocalista do grupo Molejo de estupro

Anderson, mais uma vez, confirmou que houve relação sexual com o jovem que o acusa de estupro, mas negou que não havia consentimento. O vocalista do Molejo também negou que tenha havido briga, desmaio e sangramentos no encontro.

“Ele não fala da hora que eu peguei no botequim dele, na long neck dele, mas banca a puritana, a virgem de Cosmos”, disse Anderson na live.

O vocalista do Molejo questionou a declaração da vítima de que era virgem quando o ato sexual aconteceu. “Aquele boteco leva muita cerveja, aquela tábua leva prego”, afirmou Anderson e em seguida pediu desculpas pela termos usados.

“Eu conheço Babel, pelo amor de deus, você não vai dizer isso pra mim”, declarou. “Um cara virgem não aguenta o papai. Eu tenho muita história sexual, eu sou muito esclarecido.”

Anderson relatou que o jovem não desmaiou durante o ato sexual, diferentemente do que a suposta vítima relatou à Polícia Civil do Rio. “Não teve sangramento, não teve nada”, disse. “Eu não preciso estuprar ninguém, não. Não preciso.”

“Comi? Comi. Estuprei? Não. Comi, com consenso. O veado (sic) estava colocando cada roupa colorida, aquele ‘bagão’ na frente, grande para ca*****, e com o maior bundão. Eu falei: ‘Compadre, vou botar no c* dele logo para acabar com essa po***. Botei no c* dele. Pensei que estava até apaixonado pelo c* dele. Mas depois que comi o c* dele, com consentimento, normal”, disse o vocalista do Molejo

Anderson também afirmou que é bissexual e não vê problemas em ficar com homens e mulheres. “Eu falei: se for bom, eu caso com esse filho da puta e fo**-se se falarem que eu sou gay, que eu sou bi, sou tri, sou tetra. Eu quero ser feliz, eu quero amor, não quero cilada”. “Cilada” é uma das música mais famosas do Molejo.

“Eu tinha terminado um relacionamento e o menino faz uma tatuagem para você? O cara está ali te encantando. Quando começa a te encantar, você não vê cara, você não vê bolso, nada. Você só vê uma pessoa”, afirmou.

Entenda o caso

O vocalista do grupo Molejo, Anderson Leonardo, está sendo acusado de estupro por um rapaz de 21 anos que compareceu na 33ª Delegacia de Polícia do Rio (Sulacap) e fez o registro de um boletim de ocorrência contra o artista. As informações são do colunista Alessandro Lobianco, do programa ‘A Tarde É Sua’.

O rapaz afirma que sofreu violência do cantor no dia 11 de dezembro e, em seu depoimento às autoridades, ele fala que Anderson supostamente teria marcado uma reunião, mas em vez de ir para algum local onde os dois pudessem realizar uma refeição e conversar sobre trabalho, Anderson o teria o levado para um motel chamado ‘Queen’. Ele ainda diz que teve estranhamento ao entrar no local e que teria ficado constrangido com toda situação. “Calma, é uma reunião sigilosa que pode mudar a sua carreira”, teria dito Anderson ao rapaz.

O jovem relatou que depois de ter tirado o seu aparelho celular de suas mãos e desligado, Anderson o teria jogado na cama e então teria fica pelado, dando dois tapas em seu rosto. Ele fala que ficou assustado e chorou quando o vocalista do Molejo teria dito: “Não chora seu filha da puta, sua vagabund* piranh*”.

Na sequência, Anderson teria arrancado à força as vestes da vítima, que desesperadamente teria dito: “Para que sou virgem”. O cantor, de acordo com o boletim, teria respondido: “Put* não é virgem”, e depois insistentemente teria tentado penetrar seu pênis no homem. O rapaz afirma que tentou repelir Anderson com empurrões e que depois de muito insistir o vocalista “conseguiu o seu designo” e contra sua vontade o penetrou. Ele conta ainda que Anderson não utilizou camisinha, nem lubrificante e que, por ter muita dificuldade para penetrá-lo, disse: “Por que você que é put*, piranh*, eu não consegui enfiar meu pa* em você”. Para mais detalhes clique no link abaixo.

Como agir em caso de estupro

É importante lembrar que o crime de estupro é qualquer conduta, com emprego de violência ou grave ameaça, que atente contra a dignidade e a liberdade sexual de alguém. O elemento mais importante para caracterizar esse crime é a ausência de consentimento da vítima. Portanto, forçar a vítima a praticar atos sexuais, mesmo que sem penetração, é estupro (ex: forçar sexo oral ou masturbação sem consentimento).

Uma pessoa que tenha passado por esta situação normalmente encontra-se bastante fragilizada, contudo, há casos em que a vítima só se apercebe do ocorrido algum tempo depois. Em ambos os casos, é muito importante que a vítima tenha apoio de alguém quando for denunciar o ocorrido às autoridades, pois relatar os fatos costuma ser um momento doloroso. Infelizmente, apesar da fragilidade da vítima é importante que ocorra a denúncia para que as autoridades possam tomar conhecimento do ocorrido e agir para a responsabilização do agressor.

Antes da reforma do Código Penal em setembro de 2018, alguns casos de estupro só podiam ser denunciados pela própria vítima. Isso mudou, o que significa que se outra pessoa denunciar um estupro e tiver provas, o Ministério Público poderá processar o caso mesmo que o denunciante não tenha sido a própria vítima. Saiba como denunciar casos de assédio sexual ou estupro.

Compartilhe: