Últimas notícias:

Loading...

Cinegrafista é agredido por bolsonarista e Globo se manifesta no JN

"Se eu pudesse mataria vocês" disse o agressor

Por: Redação

O cinegrafista Leandro Matozo, da GloboNews, foi agredido com uma cabeçada por um bolsonarista, na terça-feira, 12, no Santuário de Nossa Senhora Aparecida, em São Paulo. Nesta quarta-feira, 13, a TV Globo se manifestou sobre o ocorrido durante o Jornal Nacional. William Bonner leu uma nota da emissora, ao vivo.

Crédito: Reprodução/Twitter e TV GloboCinegrafista é agredido por bolsonarista e Globo se manifesta no JN

Durante o ato de covardia, na terça-feira, o agressor ainda disse ao cinegrafista e a um repórter que se pudesse mataria os dois. No ataque, Matozo machucou o nariz, que sangrou bastante, mas está bem.

Em seu Twitter, o cinegrafista contou sobre o episódio. “No final da tarde, nossa equipe decidiu gravar na parte externa da igreja, quando fomos surpreendidos por um apoiador do Presidente Bolsonaro. Ele nos abordou com xingamentos contra a TV e não parou. Em um determinado momento, disse: SE PUDESSE MATARIA VOCÊS”, escreveu Leandro Matozo, que estava acompanhado pelo repórter da Globo News Victor Ferreira.

Matozo contou que após ouvir a ameaça, o repórter que estava com ele, gritou por ajuda para policiais que estavam próximos. “O agressor continuou me insultando e, em seguida, deu uma cabeçada no meu rosto. Meu nariz sangrou muito na hora”, contou o cinegrafista.

O repórter Victor Ferreira também se manifestou nas redes sociais. “Já fiz denúncias graves e cobri tragédias com o Leandro Matozo. Hoje, no que deveria ser uma cobertura mais tranquila, dentro do Santuário de Aparecida, um apoiador de Bolsonaro nos abordou para insultar e deu uma cabeçada no meu amigo Matozo, rep. cinematográfico”, iniciou o repórter.

“Registramos uma ocorrência na PM, que não quis conduzir o agressor para a delegacia para não “prender a viatura” no DP, alegando uma tal resolução 150. O agressor foi liberado antes mesmo que nós e ainda pegou carona no carro da PM para voltar ao santuário”, continuou Victor Ferreira.

“O mais triste é saber que o agressor é um professor de educação básica de uma escola estadual de Mogi das Cruzes. ‘Escola Sem Partido’, vão dizer por aí”, finalizou o repórter.

Nesta quarta-feira, a TV Globo resolveu se manifestar sobre o caso. Durante a edição de hoje do Jornal Nacional, o âncora William Bonner leu uma nota da emissora.

“A Globo repudia a agressão sofrida por Leandro Matoso, um profissional exemplar, e se solidariza. A emissora está tomando as medidas legais para apoiá-lo e neste caso segue sempre o protocolo para garantir a segurança de seus jornalistas. A Globo continuará fazendo o jornalismo de qualidade que a caracteriza com independência e correção”, leu Bonner.