Últimas notícias:

Loading...

Dupla sertaneja é acusada de transfobia em música ‘Lili’

"Ô, Lili, ô, Lili, por que você mentiu para mim? O, Lili, ô, Lili, o amor da minha é um travesti", diz a canção feita pelos sertanejos

Por: Redação
Ouça este conteúdo

No último sábado, 19, a dupla sertaneja Pedro Motta e Henrique foram acusados de cometer transfobia na atual música de trabalho deles, “Lili”. Assim que veio a público, os internautas perceberam que a música tem tom discriminatório porque narra uma desilusão amorosa que um homem teve com uma travesti.

Dupla sertaneja é acusada de transfobia em música 'Lili'
Crédito: Reprodução/InstagramDupla sertaneja é acusada de transfobia em música ‘Lili’

A letra em questão diz: “Depois de um mês de namoro apaixonado, iludido e bobo dentro de um motel chorando arrasado acabei de descobrir que eu fui enganado/ Agora eu entendo por que ela não queria fazer amor, uma voz feminina, uma pele macia me enganou tão bem/ Depois de uma farra embriagada, ela se entregou, só que ela não tinha o que mulher tem/ Ô, Lili, ô, Lili, por que você mentiu para mim? O, Lili, ô, Lili, o amor da minha é um travesti”.

Alina Durso, ativista pelas causas LGBTQIA+, ficou indignada ao ter conhecimento do teor da música e fez críticas a dupla através de seu Twitter. “Uma dupla sertaneja lançou uma música totalmente transfóbica. Me choca saber que permitam uma música como essa em uma das maiores plataformas de música, o Spotify”, escreveu.

Após repercussão negativa do caso, os cantores gravaram um vídeo de esclarecimento no Instagram. Eles negaram ser “homofóbicos”, mas neste caso, eles estariam cometendo transfobia, mostrando desconhecimento sobre os temas de identidade de gênero e orientação sexual.

“Estamos aqui para esclarecer uma coisa. Estão nos chamando de homofóbicos [sic]. Gente, de forma alguma! Nunca vocês ouviram que Pedro Motta e Henrique é [sic] homofóbico, Pedro Motta e Henrique está [sic] zoando a pessoa”.

“Pelo contrário: a gente tem muitos amigos que estão nos apoiando na música. Agradecer a eles”, completou Henrique. “Só que eles estão com medo de expor, de ser bombardeado [sic] que nem a gente está sendo bombardeado. Gente falando que tem nojo da dupla. De forma alguma. A gente não está aqui para menosprezar a imagem de vocês. A gente fala que o amor da nossa vida é um travesti, né, parceiro, e não sabíamos. Ou é uma travesti, como vocês estão falando”, acrescentou Pedro.

Depois de terem publicado o vídeo, a conta da dupla no Instagram se tornou privada. Porém, Alina Durso postou a gravação no Twitter e frisou a parte da fala da dupla que mais a revoltou.

“Reparem no ‘homofóbicos’ e ‘tenho até amigos que são’. Impressionante que é sempre a mesma cartada”, completou.

A Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) também se manifestou contra a letra.

“Talvez vocês não saibam, mas o Brasil é o País que mais assassina travestis do mundo por ódio que muitas vezes esse áudio é incentivado por esse tipo de piada de extremo mau gosto. Estamos à disposição para o diálogo. E a nossa recomendação é que desde já vocês cancelem o lançamento e a divulgação pois a música é flagrantemente discriminatória”, disse a entidade em nota publicada, dirigida aos dois.