Últimas notícias:

Loading...

Felipe Neto é intimado pela Polícia após chamar Bolsonaro de genocida

O youtuber revelou articulação de Carlos Bolsonaro com delegado para que intimação saísse

Por: Redação
Ouça este conteúdo

O youtuber Felipe Neto foi intimado a depor nesta segunda-feira, 15, pela Polícia Civil do Rio de Janeiro, por ter chamado o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de genocida pela sua condução da pandemia do novo coronavírus no Brasil.

Crédito: ReproduçãoFelipe Neto é intimado pela polícia após chamar Bolsonaro de genocida

O influenciador digital é acusado por suposto crime previsto na Lei de Segurança Nacional. O influenciador foi intimado pelo delegado Felipe Sartori, titular da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI). Já é a segunda vez que Sartori indicia o YouTuber, em 2020 ele indiciou o influenciador por corrupção de menores.

Segundo Felipe Neto, o pedido de intimação partiu de Carlos Bolsonaro e a DRCI confirmou que a intimação é referente à petição do vereador do Rio de Janeiro.

Em seu Twitter, o youtuber publicou um vídeo se manifestando sofre a queixa crime e questionou Carlos Bolsonaro.

“Eu não sei como ele gostaria que eu me referisse ao presidente da República que chamou a maior pandemia vista nos últimos anos de gripezinha, um presidente que incentiva todo mundo a sair nas ruas como se nada tivesse acontecendo, que provocou aglomerações, inclusive, em todos os momentos desta pandemia, que sabotou e sabota medidas dos prefeitos e governadores que tentaram fazer alguma coisa (…), que condenou, durante todo esse tempo o uso de máscaras, que se recusou a utilizá-las, exceto quando viajou para Israel, aí ele obedeceu pianinho. O presidente que demitiu dois ministros da Saúde médicos, que tentaram de alguma forma agir com o mínimo de decência (…), que gastou milhões e milhões de reais em cloroquina, uma droga comprovadamente ineficaz contra a covid-19 e que se recusou, veementemente, a comprar vacina, quando foi oferecida no momento mais importante de se ter comprado (…) que sempre se posicionou contra a vacinação. De que outra forma eu poderia chamar este presidente? De colegão? De amigo do povo? De guerreiro? Não me sobrava outra palavra para chamar o presidente”, afirmou Felipe Neto.

Mais cedo, ainda no Twitter, Felipe Neto escreveu: “Um carro da polícia acaba de vir na minha casa. Trouxeram intimação para que eu compareça e responda por CRIME CONTRA SEGURANÇA NACIONAL porque chamei Jair Bolsonaro de genocida. Carlos Bolsonaro foi no mesmo delegado que me indiciou por ‘corrupção de menores’. Sim, é isso mesmo”.

“Eles querem que eu tenha medo, que eu tema o poder dos governantes. Já disse e repito: um governo deve temer seu povo, NUNCA o contrário. Carlos Bolsonaro, vc não me assusta com seu autoritarismo.”, disse Felipe Neto.

O youtuber afirmou se tratar de “clara tentativa de silenciamento”, e continuou: “Minha atribuição do termo ‘genocida’ ao Presidente se dá pela sua nítida ausência de política de saúde pública no meio da pandemia, o que contribuiu diretamente para milhares de mortes de brasileiros. Uma crítica política não pode ser silenciada jamais!”