Jornalista da Globo anuncia ao vivo que está com câncer de mama

Após o anúncio, a jornalista Cristina Ranzolin disse que vai afastar do trabalho por um tempo para realizar o tratamento

Por: Redação
Ouça este conteúdo

A jornalista Cristina Ranzolin, apresentadora do Jornal do Almoço, na RBS TV, afiliada da TV Globo no Rio Grande do Sul, contou ao público, ao vivo, nesta quinta-feira (12) que está em tratamento contra um câncer de mama.

Jornalista Globo câncer de mama
Crédito: Reprodução/RBSTVJornalista da Globo anuncia ao vivo que está com câncer de mama

Segundo a jornalista, o diagnóstico foi feito na semana passada, após exames de rotina, e para dar sequencia ao tratamento, ela ficará um período afastada do trabalho. “Um dia depois do meu aniversário, recebi uma notícia que ninguém quer receber. Fui fazer meus exames de rotina e fui diagnosticada com câncer de mama. Um tumor pequeno, de pouco mais de um centímetro, mas de um tipo agressivo, que precisa de tratamento sério”, relatou Cristina.

A jornalista contou ao público, emocionada, que está aprendendo a lidar com a situação. Cristina disse que seu organismo está se adaptando ao tratamento e que “Não tive reações adversas, mal-estar, mas estou me observando”, disse. A apresentadora do Jornal do Almoço ainda contou que iniciou o tratamento na última segunda-feira, 9.

Ainda segundo a jornalista, para o tratamento, ela precisará ficar fora da TV e descansar por algum período. “Estou bem, levei um susto sim, mas não me apavorei. Confio nos meus médicos, nos tratamentos, na minha força pessoal e na minha fé em Deus”, disse Cristina.

Em seguida, a jornalista ainda aproveitou o espaço para falar sobre a importância de realizar os exames preventivos, procurar médicos, pois é mais fácil realizar o tratamento se a doença for descoberta logo no início.

“A boa notícia é que os médicos dizem que esse tipo de tumor que eu tenho é o que melhor responde aos medicamentos e me garantiram 100% de cura. Vão ser seis meses de tratamento, que espero fazer levando uma vida normal. Os médicos dizem que é possível, sou saudável, me alimento bem, faço exercício, não fumo, bebo socialmente. Isso até me levou a perguntar de onde veio esse tumor, não tem ninguém na família com o problema. Por isso, não deixem de fazer seus exames regularmente”, afirmou.

Em seu perfil no Instagram, a jornalista da Globo também falou sobre a doença.

“‘A Mulher mais linda e forte do Mundo’ Foi com essa legenda, numa foto linda que estamos abraçadas, que minha filha começou uma série de postagens me enchendo de carinho no dia do meu aniversário. E foi essa frase, especialmente a segunda parte dela, que me veio na cabeça quando, ainda deitada na mesa de ecografia, recebi a notícia que eu estava com um nódulo suspeito na mama. Imediatamente, passei  por uma biópsia e, no dia seguinte, veio o resultado positivo. Ainda foi preciso mais uma semana para se chegar ao diagnóstico definitivo do tipo de tumor e qual o tratamento.  Passei  por uma série de exames. Antes de cada resultado, uma expectativa, uma ansiedade, mas a certeza de que sou forte. Minha filha me vê assim e não vou decepcioná-la. Só me desestabilizei  um pouco ao contar para minha mãe. Claro, os papéis se invertem: ali virei a filha e confesso que fraquejei. Mas passou. Sim, como contei há pouco no JA, estou com câncer de mama, um nódulo pequeno, mas agressivo que precisa de um tratamento sério.  Felizmente, o que melhor responde aos medicamentos, e já comecei, nesta segunda-feira, a fazer quimioterapia. Vão ser seis meses de tratamento que vou procurar fazer levando uma vida normal, já que sou saudável e os médicos acreditam que não devo ter muitos efeitos colaterais. Por enquanto, vou ficar alguns dias afastada,  para me observar e digerir tudo isso. Mas quero que saibam que estou bem, fisicamente, de cabeça, com bons médicos, com o apoio da minha família, especialmente meu marido, com fé em Deus e espero contar com as boas energias de vocês também!”.

Câncer de mama

“O primeiro e principal passo para combatermos a doença é o conhecimento. Temos que maximizar a exposição das informações para que cada vez mais mulheres e população em geral estejam conscientes da necessidade de realização da mamografia”, afirma Bruno Ferrari, oncologista e Presidente do Conselho de Administração do Grupo Oncoclínicas.

A adesão à mamografia precisa ser  antecipada entre mulheres com histórico de câncer na família, ou seja, cujas mães, avós ou irmãs tiveram câncer de mama. “Cerca de 10% dos casos de câncer de mama estão associados a fatores genéticos hereditários”, explica Ferrari. “Nessas situações, o controle preventivo deve ser iniciado antes mesmo dos 40 anos por conta do risco aumentado”, orienta.

Sinais de câncer e mama

A característica mais comum da doença é o surgimento de um nódulo nas mamas ou axilas geralmente indolor. Além disso, o paciente pode apresentar outros sinais menos frequentes; veja abaixo:

  • Inchaço de toda ou parte de uma mama (mesmo que não se sinta um nódulo)
  • Edema (inchaço) da pele
  • Eritema (vermelhidão) na pele
  • Inversão do mamilo
  • Assimetria das mamas
  • Espessamento ou retração da pele ou do mamilo
  • Secreção pelos mamilos
  • Inchaço do braço
  • Dor na mama ou mamilo

Como reduzir o risco do câncer de mama

A prevenção do câncer de mama não é totalmente possível em função dos múltiplos fatores relacionados ao surgimento da doença e ao fato de vários deles não serem modificáveis, mas além de realizar exames preventivos com frequência, a adoção de alguns hábitos de vida saudáveis, podem diminuir o risco; são eles:

  • Manter uma dieta balanceada, rica em frutas e vegetais e com pouca gordura;
  • Praticar atividades físicas regulares, pelo menos por 1 hora, 3 dias por semana;
  • Evitar sobrepeso;
  • Evitar fumar;
  • Quando amamentar, fazê-lo pelo maior número de meses possível;
  • Evitar ingestão alcoólica excessiva, mais de três drinques de alto teor alcoólico por dia.

Para saber mais sobre o câncer de mama, clique aqui.