Ministério Público denuncia Felipe Prior por estupro

Casos teriam acontecido quando o ex-BBB estava na universidade

Por: Redação

O ex-BBB Felipe Prior foi denunciado nesta quinta-feira, 6, pelo Ministério Público de São Paulo pelos crimes de estupro. A ação acontece dois dias após ele ter sido inocentado em inquérito policial da 1ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de São Paulo, que apurava os mesmos crimes. No despacho de doze páginas do processo, a delegada responsável pelo caso entendeu que não havia provas para indiciar o arquiteto.

Felipe Prior foi denunciado por três mulheres. Duas delas relataram estupro e a terceira, tentativa de estupro. Os casos vieram à tona quando foram divulgados pela revista “Marie Claire” em abril deste ano.

felipe prior bbb20
Crédito: Reprodução/GloboMP oferece denúncia a Felipe Prior por estupro

De acordo com o G1, as advogadas que representam as mulheres disseram em nota que “oferecimento da denúncia contra Felipe Prior demonstra a consistência das provas do caso, apesar das tentativas de desacreditar as acusações e as vítimas”.

Até o início da noite desta quinta-feira, o ex-BBB ainda não havia se pronunciado sobre o caso em suas redes sociais.

Sobre as acusações contra Prior

Os casos de estupro e tentativa de estupro teriam ocorrido na época em que o arquiteto era aluno do curso de Arquitetura da Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo (SP). Uma das mulheres diz ter sido estuprada por Prior em agosto de 2014, após uma festa da faculdade.

A segunda diz ter conseguido se desvencilhar de uma tentativa de estupro em 2016, durante os jogos universitários. E a terceira relata estupro em 2108 também durante os jogos.

Além de Felipe Prior, todas as supostas vítimas e 11 testemunhas foram ouvidas.

O QUE FAZER EM CASO DE ESTUPRO?

  • Cuide da sua saúde em primeiro lugar. Antes de se preocupar com as medidas legais é importante receber atendimento médico, se necessário. Existem centros especializados em saúde da mulher que costumam estar melhor preparados para os casos de violência sexual.
  • Chame a polícia ou vá até uma delegacia.
  • Será feito um boletim de ocorrência e você será encaminhada, em seguida, a um hospital para realizar exames e receber medicamentos para prevenir doenças sexualmente transmissíveis (como o HIV), além de receber a pílula do dia seguinte para evitar gravidez, caso já não tenha passado por atendimento médico.
  • O boletim de ocorrência logo após o crime é importante para que seja feito o exame de corpo de delito (realizado por um médico no Instituto Médico Legal — IML). Por essa mesma razão, não é recomendável que a vítima tome banho após o ocorrido, pois isso pode impedir a coleta de algumas provas importantes para a investigação e posteriormente para o processo criminal (ex: identificação da presença de sêmen o que pode auxiliar até na identificação do autor). Além disso, é importante guardar as roupas usadas no momento do crime para coleta de provas. O DNA do autor pode ser coletado destas peças de roupa, por exemplo.
  • Nos casos em que houve o uso de drogas como o “Boa Noite Cinderela” é importante que a vítima faça o Exame Toxicológico (através de exame de sangue e urina) em no máximo 5 dias após a ingestão. O ideal é fazê-lo o quanto antes possível.
  • Nunca se deve culpar a vítima pelo crime cometido contra ela. A culpa jamais será da vítima e pressão de amigos e familiares indagando sobre a roupa, comportamento, postura, circunstâncias corroboram para os altos índices de suicídio entre vítimas de estupro.

Compartilhe: