Público denuncia assédio sexual na ‘Fazenda’ e pede expulsão de Lucas

Mesmo após ouvir várias negativas de Hariany, o peão continuou insistindo em tentar ficar com ela; Record ainda não se pronunciou

Por: Redação

Um vídeo que começou a circular pelas redes sociais na madrugada deste domingo, 24, levou os internautas a pedirem a expulsão de Lucas Viana, participante do reality show “A Fazenda 11”. A acusação é grave: assédio sexual.

Nele, depois da festa, Lucas chega à cama de Hariany Almeida, que está dormindo e, quando percebe a aproximação e beijos do peão, pergunta: “Que é isso?”. “Sou eu”, diz Lucas, já abraçando a ex.

Lucas Viana e Hariany Almeida, da Fazenda
Crédito: Reprodução/TV RecordEm “A Fazenda 11”, Lucas Viana abraça e beija Hariany Almeida, que pede que ele se afaste

Ela então pede que ele se afaste: “Não, vai dormir”. “Calma, eu tô indo”, diz ele, insistindo. “Vai!” “Eu vou”, diz o participante, enquanto acaricia Hariany. Ela, então empurra o modelo e deixa claro, mais uma vez, que não quer que ele continue: “Não, vai pra lá, Lucas”. “Vou, pera, deixa eu ficar um pouquinho.” “Vai”, fala Hariany, tirando a mão de Lucas e se cobrindo. Ele ainda insiste mais um pouco e só então sai.

Durante a festa, o peão já havia tentado ficar com Hariany, que não cedeu aos apelos e deu um fora. Em ambos os momentos, ela deixou claro mais de uma vez que não queria voltar.

Internautas começaram a exigir a expulsão de Lucas por assédio sexual e as hashtags “Record acoberta assédio” e “LucasExpulso” ficaram entre os assuntos mais comentados do Twitter neste domingo.

Nem a Record nem o apresentador Marcos Mion se pronunciaram, até o momento, sobre o episódio. Lucas Salles, repórter do programa, disse, por meio do seu perfil no Twitter, ser contra qualquer tipo de assédio e que “temos que exigir respeito sempre, seja qual for a situação”. Afirmou também que a situação será analisada pela produção e “com certeza, tomarão uma atitude digna”.

Confira algumas das reações dos internautas, que lembraram: “Não é não”

Assédio sexual é crime e deve ser denunciado

O assédio contra mulheres envolve uma série de condutas ofensivas à dignidade sexual que desrespeitam sua liberdade e integridade física, moral ou psicológica. Lembre-se: onde não há consentimento, há assédio!

Como denunciar? Qualquer assédio contra a mulher pode ser denunciado pelo Ligue 180. A denúncia pode ser feita de forma anônima e é importante fornecer a maior quantidade de informações possíveis para que haja material suficiente para uma investigação e possível responsabilização do agressor.

A Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180 é uma política pública essencial para o enfrentamento à violência contra a mulher em âmbito nacional e internacional. Por meio de ligação gratuita e confidencial, esse canal de denúncia funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana, no Brasil e em outros 16 (dezesseis) países: Argentina, Bélgica, Espanha, EUA (São Francisco e Boston), França, Guiana Francesa, Holanda, Inglaterra, Itália, Luxemburgo, Noruega, Paraguai, Portugal, Suíça, Uruguai e Venezuela.

O fato da denúncia ter sido feita pelo 180 não impede que a vítima vá até uma delegacia fazer um boletim de ocorrência também;

Caso esteja diante de uma conduta ocorrendo naquele momento, faça registros (fotografe/filme) e ligue para a autoridade policial. Isso pode permitir que a conduta seja pega em flagrante facilitando a denúncia para as autoridades;

Se a pessoa estiver em situação de vulnerabilidade, como, por exemplo, em razão de embriaguez, ela pode não ter consciência do que está acontecendo, ofereça ajuda garantindo a segurança dela, pois, infelizmente, muitos casos de assédio e até de estupro ocorrem nessas circunstâncias, o que são elementos levados em conta no processo pois podem aumentar a pena do agressor. Em casos assim, ela não tem condições de consentir ou não. Regra de ouro: a pessoa só pode ter consentido se ela tiver condições para isso e sexo sem consentimento é estupro.