CORONAVÍRUS
Loading...
Últimas notícias e tudo que você precisa saberAtualizando informações
Infectados-
Mortes-
Recuperados-

Vídeo: Histórias curiosas por trás da Semana de Arte Moderna

Por: Redação

Anita Malfatti, Manuel Bandeira, Heitor Villa-Lobos, Oswald e Mario de Andrade foram apenas alguns dos artistas envolvidos na Semana de Arte Moderna que movimentou o Theatro Municipal de São Paulo em 1922. Ainda que a história não soe como novidade, o evento guarda uma série de fatos desconhecidos pelas narrativas tradicionais sobre o movimento que mudou o jeito de fazer arte no Brasil.

O primeiro deles diz respeito ao nome “Semana de Arte”, que, na verdade, aconteceu em apenas 3 dias. Sim, é isso mesmo. Ao contrário do que muitos pensam, o evento foi realizado nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro de 1922, em comemoração ao centenário da independência do país. Outo fato interessante é que a manifestação só ganhou notoriedade tempos após sua realização e não sacudiu a cidade paulistana como todos acreditam.

Os quadros da pintora Anita Malfatti foram o estopim para o emergir do modernismo, estilo artístico abrasileirado, que tinha como objetivo romper com as referências europeias para criar uma arte nacional. Para Monteiro Lobato, que representava a ala conservadora da sociedade, os quadros de Malfatti simbolizaram uma afronta e uma anormalidade. Tanto que o autor do Sítio do Picapau Amarelo, à época, publicou no jornal O Estado de São Paulo uma coluna criticando a fortemente a artista, o que fez com que seus quadros fossem devolvidos por compradores.

Outra curiosidade ocultada pelos livros foi a participação do músico Heitor Villa-Lobos, que subiu ao palco do Municipal no terceiro dia vestindo nos pés um par de sapato e outro de chinelo. O público foi extremamente crítico ao se deparar com a cena, distribuindo vaias e comentários negativos para o artista. No entanto, o que poucos sabem é que Villa-Lobos sofria com um calo no pé, o que o impediu de vestir o calçado.

Esses e outros acontecimentos curiosos são contados por Marcel Verrumo no livro Histórias Bizarras da Literatura Brasileira. Ficou interessado? Então dá uma olhada na entrevista que fizemos com autor no vídeo acima.

Compartilhe:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.