Em comemoração ao centenário da imigração japonesa no Brasil, o Instituto Moreira Salles e o SESI-SP apresentam ao público, de 25 de novembro a 1º de março, a exposição Japão - Mundos Flutuantes. A mostra será realizada na Galeria de Arte do SESI, em São Paulo, e reúne três diferentes expressões da cultura e da arte japonesa e suas influências em terras brasileiras.

divulgaçãoMostra será realizada na Galeria de Arte do SESI

Créditos: Mostra será realizada na Galeria de Arte do SESI

Mostra será realizada na Galeria de Arte do SESI

No primeiro módulo, o visitante poderá conhecer uma seleção de 155 gravuras ukiyo-e (que significa “pintura do mundo flutuante”) pertencentes ao acervo do IMS. Muito popular no Japão durante o período Edo, que cobre de 1603 a 1868, as gravuras estão intimamente associadas às peças do teatro kabuki, às cenas comuns do cotidiano e marcam o rompimento das práticas artísticas de um Japão estamental, em que a pintura a pincel era reservada somente a nobres e samurais.

Dois fatores contribuíram para a disseminação das gravuras no período descrito: a transferência da capital imperial do país de Quioto para Edo (hoje Tóquio) no final do século XVI (onde as aspirações dos plebeus encontram maior ressonância nas formas da produção artística) e a multiplicação de cópias (possibilitada pela técnica da xilogravura). Uma vez disseminado o processo de reprodução em massa, o ukiyo-e desenvolveu-se como “arte popular”. Acrescenta a artista plástica e professora Madalena Hashimoto, em texto de apresentação do catálogo sobre o módulo: “Em seu tempo de produção, [as gravuras] eram consumidas como hoje são os nossos livros, revistas, almanaques, álbuns, guias de viagens e de compras, calendários, brochuras, cartazes, cartões-postais, convites de festas”.

Japão - Mundos Flutuantes