Abrangendo cerca de 50 anos de trabalho, a exposição destaca a coerência que atravessa a variada produção de Geraldo de Barros (1923 - 1998), um dos principais membros do grupo de artistas concretos de São Paulo, na década de 50.

Focalizando as séries de fotografias Fotoformas (final da década de 40 e meados da seguinte) e Sobras (1996 a 98), pertencentes à coleção do SESC-SP, a mostra traz também uma amostragem da produção do artista em design de móveis nas duas empresas que fundou, a cooperativa Unilabor (entre 1954 e 64) e a Hobjeto (de 1964 a meados dos anos 80), além de alguns de seus quadros-objeto da década de 80.

A mostra é acompanhada pela exibição contínua do filme Geraldo de Barros - Sobras em Obras, de Michel Favre. A curadoria ficou a cargo de João Bandeira e de Fabiana de Barros. Nos espaços expositivos do térreo e do 3º andar.

Modulação de Mundos