Créditos:

Djin Sganzerla e Marcelo Lazzaratto em cena

A tragicomédia, com texto original inédito do premiado cineasta Evaldo Mocarzel, conta a história de um homem que, acometido por uma doença sem cura, vive isolado numa casa vazia à beira mar. Enquanto recebe doses regulares de morfina, é visitado por personagens vindas de suas memórias e alucinações, como a jovem filha homossexual, provocadora e ferida; sua mulher, ao mesmo tempo amorosa e selvagem; e a figura enigmática de uma mulher de branco.

A encenação explora uma intersecção entre as linguagens do audiovisual e do teatro, com o intuito de materializar cenicamente as imagens de delírio e angústia do texto original.

A trilha musical é tocada ao vivo pelo músico Gregory Slivar, que assina a concepção sonora do espetáculo.
Como um sonoplasta de cinema mudo, cria a paisagem sonora às vistas do público, combinando trilhas compostas e efeitos acústicos, instrumentos musicais e objetos percurssivos diversos.

O espetáculo é um dos três selecionados, entre 95 projetos inscritos, para integrar o Núcleo de Montagens Profissionais Vila Leopoldina . Os outros dois são: Sobre Tomates,Tamancos e Tesouras, montagem que ficou em cartaz de junho a julho, e O Capitão e a Sereia , com estreia prevista para outubro.

Ficha Técnica:
Texto: Evaldo Mocarzel
Direção: André Guerreiro Lopes
Elenco: Helena Ignez, Marcelo Lazzaratto, Djin Sganzerla e Siomara Schroder
Concepção Sonora e trilha ao vivo: Gregory Slivar
Cenografia: Fábio Delduque
Figurinos: Sônia Ushiyama
Iluminação: Marcelo Lazzaratto
Direção de Vídeo: André Guerreiro Lopes
Assistente de Direção: Siomara Schroder
Duração: 60 minutos
Gênero: Drama

Tragicomédia de um Homem Misógino