Aproveitando o clima do Dia dos Namorados, decidi fazer um post dedicado a destinos muito românticos. Afinal, tem coisa melhor do que viajar a dois?

Quem ama demais o namorado/namorada quase sempre está louco para casar, né?! E a lua de mel é um dos momentos mais deliciosos disso tudo! A escolha do destino não costuma ser fácil… Afinal, são muitos lugares que sonhamos a vida toda em conhecer e uma época exata para viajar, que nem sempre é a melhor para conhecer algum país específico.

O que eu acho ideal em uma viagem de lua de mel (e em muitas outras também) é “casar” um destino de descanso absoluto, que geralmente resulta em praia paradisíaca (no início ou no final do roteiro) com um lugar completamente novo, com muita cidade, muita cultura, muita informação… enfim, algo que seja bem diferente do que você está acostumado a ver onde mora.

As opções que trago hoje aqui são combinações de 2 ou mais destinos que se complementam perfeitamente. Mas há também opções de países que, sozinhos, já cumprem esse papel de unir aprendizado com profundo relaxamento. Enjoy!

#1 | MALDIVAS + ÍNDIA ou SRI LANKA ou DUBAI ou TURQUIA

- ILHAS MALDIVAS

O primeiro destino já é unanimidade entre casais. Mar com água calminha e muuuuito azul turquesa e bangalôs sobre o mar em hotéis extremamente luxuosos e super românticos. O destino parece até um sonho! O arquipélago, formado por mais de 1.000 ilhas, está localizado no Oceano Índico, na Ásia, ao sudoeste do Sri Lanka e da Índia.

Os países do sul e sudeste da Ásia sofrem com as monções (ventos e chuvas muito fortes), que ocorrem em períodos diferentes em cada região. Portanto, evite ir às Ilhas Maldivas de abril a outubro. Lá faz calor o ano todo, mas já que é pra ir a um lugar tão longe (e tão caro), melhor escolher o melhor mês, né?! Eu fui em outubro. Apesar de ter sido liiiindo, confesso que o tempo nem sempre estava dos melhores!!

  • Melhor época para ir: de novembro a março (estação seca).
  • Quanto tempo ficar: por ser um destino unicamente de praia, onde você praticamente não sai do resort, eu diria que o tempo ideal para ficar lá é de 5 dias a 1 semana, no máximo. Por causa disso, o ideal é unir a ida às Maldivas com um destino de cidade interessante nas redondezas, que seja completamente diferente.
  • Como chegar: saindo do Brasil, a melhor jeito é ir via “Arábias”, voando Emirates (conexão em Dubai), Etihad (conexão em Abu Dhabi) ou Qatar (conexão em Doha).

Velassaru Private Dining Experiences – Satay Barbecue | foto: site do hotel[/img]

Six Senses Laamu Water Villa | foto: site do hotel[/img]

 

- ÍNDIA

Já que íamos de qualquer jeito para as Maldivas (meu sonho desde criancinha), decidimos juntar a viagem com algo que fosse diferente de tudo o que já havíamos experimentado na vida. E assim fomos parar na Índia.

Eu fiquei completamente apaixonada! Um dos países mais fabulosos do planeta na minha opinião. Mas confesso que entendo o porquê de ter tanta gente que odeia. rsrs. Não é um destino fácil, simples, leve… Mas é interessantíssimo, muito rico e profundo. Deixei meu coração lá!!

Os hotéis 5 estrelas indianos são algo de outro mundo!! Sem dúvidas, equivalem a 10 estrelas se comparados aos hotéis de luxo do Ocidente. Te fazem sentir verdadeiros maharajas! Sério, não dá nem pra explicar…

Focamos nosso roteiro na parte norte/noroeste do país, fazendo Déli (capital), Agra (Taj Mahal) e o estado do Rajastão, visitando as cidades Jaipur (Pink City), Jodhpur (Blue City), Jaisalmer(Golden City – no Deserto Thar) e Udaipur (Lake City). Tudo de carro, com motorista. TiramosVaranasi dos planos porque achamos que seria “too much” para uma lua de mel, mas daria pra encaixar perfeitamente.

  • Melhor época para ir: de outubro a dezembro seria o momento ideal para conhecer essa região da Índia (Rajastão), pois é quando já acabou o período das monções (junho a setembro) e o calor está suportável.
  • Quanto tempo ficar: recomendo ficar de 12 a 15 dias no país para explorar a região que visitamos. Mais que isso seu corpo já começará a pedir arrego e bangalô!!! rsrs.
  • Como chegar: saindo do Brasil, vá para Delhi de Emirates (conexão em Dubai). Etihad (conexão em Abu Dhabi) ou Qatar (conexão em Doha).

Para ir da Índia às Maldivas não foi a coisa mais fácil do mundo. Apesar dos dois países serem vizinhos, não achamos vôos diretos. :( Tivemos que voar de Udaipur para Mumbai, de lá ir para o Sri Lanka e aí sim pegar um vôo para Malé (capital das Maldivas). Foi perrengue mas valeu a pena!!

- SRI LANKA

Tá aí um país coladinho nas Maldivas, com história riquíssima e natureza exuberante, que pouquíssima gente considera conhecer. Um lugar que mescla fortes traços da sua gigante vizinha Índia (porém de religião budista e não hinduísta) com traços de seus colonizadores europeus: Portugal, Holanda e Inglaterra (o país é independente desde 1948 apenas).

No antigo Ceilão você poderá explorar templos (inclusive em cavernas e no topo de montanhas), ruínas (8 Patrimônios da Humanidade da UNESCO estão lá), observar elefantes em orfanatos ou até mesmo em safáris, onde você também poderá avistar leopardos, conhecer plantações de chá (o produto mais exportado do país), e ainda descansar em belas praias.

  • Melhor época para ir: de outubro a março.
  • Quanto tempo ficar: para conhecer o básico do país é necessário ficar de 6 a 8 dias por lá. Se quiser também conhecer a praia mais bonita (Bentota), acrescente 2 dias mais.
  • Como chegar: apesar de ser uma longa viagem, é super fácil chegar ao Sri Lanka (cidade de Colombo) partindo de Guarulhos e fazendo apenas uma conexão. Voe Emirates (conexão em Dubai), Etihad (conexão em Abu Dhabi), Qatar (conexão em Doha) ou Turkish Airlines (conexão em Istambul).

Para ir do Sri Lanka (Colombo – CMB) às Maldivas (Male – MLE) é ainda mais fácil. Apenas 1h30 de vôo de SriLankan Airlines, com várias opções de horários. Voei com essa cia aérea na minha lua de mel e gostei! :) Faz parte da aliança One World (a mesma da American Airlines, TAM, LAN, British Airways etc.).

- DUBAI

O destino mais comum para “juntar” com Maldivas, uma vez que os melhores vôos para Malé, capital das Maldivas, fazem conexão nos Emirados Árabes. Assim, esticando a conexão, você ganha tempo de viagem. Ideal para quem quer conhecer mais lugares além da praia e não tem tanto tempo assim de férias.

Apesar de ser um país muçulmano, a ideia de colocar os Emirados Árabes no roteiro não é para que você conheça profundamente uma nova cultura e sim para ver, no presente, o que sempre tivemos como ideia de futuro. Praticamente tudo lá é absurdamente moderno e, claro, muito luxuoso!

Estando lá, algumas das atividades que você pode fazer são: hospedar-se (ou apenas conhecer) hotéis de super luxo e muuuuito altos, como o Burj Khalifa, o prédio mais alto do mundo e o único hotel 7 estrelas que existe (não deixe de ir no mirante panorâmico no 124º andar), comer em super restaurantes, passear por shoppings centers que parecem estar em outro planeta, ir ao Mercado de Especiarias e ao Mercado de Ouro, curtir uma prainha em Jumeirah Beach (se suportar o calor, sempre acima dos 40ºC) e fazer um safári com jantar no deserto. Dá também para tomar café com pó de ouro… Que tal?! hehehe.

Você ainda pode alugar um carro, contratar um tour ou usar transporte público para ir até Abu Dhabi, que está a 140km de Dubai. Em Abu Dhabi, não deixe de conhecer o Ferrari World, que tem a montanha russa mais rápida do mundo (é… tudo nos Emirados Árabes é “o mais do mundo” --a terra dos superlativos! rsrs). Visite também a gigantesca Mesquita Sheikh Zayed.

  • Melhor época para ir: de novembro a fevereiro, quando o calor costuma ser menos insuportável.
  • Quanto tempo ficar: de 2 a 4 dias.
  • Como chegar: voando Emirates (vôo direto para Dubai) ou voando Etihad (vôo direto para Abu Dhabi).

Para ir de lá até as Maldivas, use a mesma companhia aérea que fez o trecho Brasil-Emirados Árabes. ;)

- TURQUIA

Um lugar mais do que queridinho. Eu simplesmente AMEI esse país! Aqui sim você poderá conhecer mais da cultura islâmica, conhecer mesquitas riquíssimas em história, mercados genuínos, palácios imponentes e paisagens naturais arrebatadoras. O país tem um pé no Oriente e outro no Ocidente, e isso é muito legal. Uma excelente porta de entrada para quem está começando a explorar este “lado” do mundo.

Estando em terras turcas, para ter um ótimo panorama do país, conheça Istambul (que apesar de ser a cidade mais famosa, não é a capital, e sim, Ancara!), Capadócia, com suas montanhas de formação de lava vulcânica, suas cavernas e seus muito balões que deixam a paisagem mais linda e colorida, Pamukkale, que tem piscinas naturais em uma montanha calcificada chamada de Castelos de Algodão, e por fim, Éfeso.

  • Melhor época para ir: de março a outubro para fugir do inverno que costuma ser rigoroso. Mas para casar com uma viagem às Maldivas, melhor ir no frio mesmo!! :)
  • Quanto tempo ficar: mínimo 8 dias.
  • Como chegar: vôo direto Brasil-Istambul com a Turkish Airlines.

Muita gente não considera conhecer a Turquia na mesma viagem que as Ilhas Maldivas, mas é muito fácil, pois há vôos diretos também da Turkish Airlines entre os dois países.

#2 | ÁFRICA DO SUL + ILHAS MAURÍCIO ou SEYCHELLES ou ZANZIBAR

– ÁFRICA DO SUL 

Essa é outra queridinha dos casais em lua de mel, principalmente pela facilidade em chegar (vôos diretos com apenas 8h de duração – comparando com os vôos para os Emirados Árabes citados acima, é “apenas” 8h mesmo hehehe) e pela diversidade de atividades que o país oferece: cidades, bichos, vinícolas, super hotéis… Tudo em um mesmo lugar.

Imperdível no país é passar uns dias em Cape Town, uma cidade lindíssima a beira mar, visitar várias vinícolas em seus arredores e degustar os melhores vinhos sul-africanos, fazer safári no Kruger, mergulhar com tubarão baleia ou com tubarão branco na gaiola (medo!!!) e conhecer um pouquinho de Johannesburgo, principalmente para saber mais a fundo a história de Mandela e sobre o apartheid.

  • Melhor época para ir: de setembro a maio. Os mais friorentos devem evitar visitar o país de junho a agosto, quando o inverno é a estação da vez.
  • Quanto tempo ficar: mínimo 10 dias.
  • Como chegar: vôo direto Brasil-Johannesburg com a South African Airways.

– ILHAS MAURÍCIO

As Ilhas Maurício estão localizadas no Oceano Índico, mas mais perto da África do que da Ásia (ao contrário das Maldivas). Tem sido a preferida de casais em lua de mel que vão para a África do Sul e aproveitam para dar uma “esticadinha” em uma praia paradisíaca, pra relaxar até não querer mais. Os motivos são muitos: beleza super preservada (era desabitada até o século 16), mar com águas cristalinas, hotéis de sonho e facilidade para se chegar partindo da África do Sul (apenas 4 horas de vôo direto).

Maurício é conhecida como a “jóia do Índico” e seu nome se deve ao povo que a colonizou, os holandeses, que quiseram homenagear Maurício de Nassau, alemão que lutava pela Holanda.

  • Melhor época para ir: faz calor o ano todo, mas evite ir entre janeiro e março, pois é quando há a maior incidência de chuvas.
  • Quanto tempo ficar: não existe quantidade de dias ideal, depende do estilo de cada um. Eu indicaria a mesma coisa de Maldivas, por ser basicamente só praia. Em torno de 5 dias.
  • Como chegar: vôo direto de Johannesburg, na África do Sul para Mauritius (4h de duração). Você pode ir de South African Airlines ou de Air Mauritius. Para quem quiser ir só para Mauritius (cortando África do Sul), outra maneira é indo também via Emirados Árabes (muito mais tempo de viagem).

– SEYCHELLES

Outro paraíso no Oceano Índico coladinho no continente africano, formado por 115 ilhas. Em uma delas esteve o casal real britânico, Príncipe William e Kate, em sua lua de mel. Ao contrário da maioria dos seus vizinhos africanos, Seychelles é considerado um país rico e um dos poucos do continente com alto IDH.

As principais ilhas de Seychelles são Mahé, Praslin e La Digue. Se não tiver muito tempo disponível, foque nas duas primeiras. A praia Anse Lazio, na ilha de Praslin, foi eleita pela Condé Nast Traveler uma das 10 praias mais bonitas do mundo.

  • Melhor época para ir: de março a novembro.
  • Quanto tempo ficar: recomendo 3 dias em Mahé e 3 dias em Praslin, mas aí vai de você querer ficar mais tempo descansando em cada lugar! Se tiver mais tempo disponível, acrescente 2 dias em La Digue.
  • Como chegar: opção de vôo direto que faz o trecho Johannesburg (JNB) – Seychelles (Mahé Island – SEZ) é o que não falta. São 5h de viagem e você pode ir de South African Airways, Air Seychelles e Etihad.

– ZANZIBAR

Este lugar está na minha lista de próximos destinos que estou loooooouca pra conhecer!!! O arquipélago azul turquesa encontra-se no sudeste do continente africano e pertence a Tanzânia(porém tem status semi-autônomo). Também no Oceano Índico, a ilha é conhecida como “The Spice Island”, devido a grande produção de especiarias. A ilha já foi um importante ponto de comércio entre África, Ásia e Oriente Médio, por isso absorveu um pouco de cada coisa. A religião predominante é o islã.

A capital de Zanzibar, Stone Town (Cidade de Pedra), é Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

Quem não quiser ir para a África do Sul, um outro “casamento perfeito” é juntar Zanzibar com a própria Tanzânia, conhecendo o Parque Nacional Tarangire, a área de conservação de Ngorongoro e o famoso Parque Nacional Serengeti.

  • Melhor época para ir: não há tempo ruim para ir, mas entre junho e setembro o clima está mais seco. Evite os meses de março a maio, com mais chuvas.
  • Quanto tempo ficar: acho que 4 dias estaria bom! :)
  • Como chegar: existem 2 vôos diretos por semana entre Zanzibar (ZNZ) e Johannesburg (JNB). Voe MANGO (duração: 3h45). Quem estiver na Tanzânia, é possível ir de ferry boat partindo de Dar es Salaam ou de avião (30 minutos de vôo). Cias aéreas: Precision Air, Bek Air, Auric Air, Thomson Airways e Air Excel.

22_MAPA-LUA-DE-MEL-AFRICA-DO-SUL-SEYCHELLES-MAURICIO-E-ZANZIBAR-TANZANIA

Créditos: 22_MAPA-LUA-DE-MEL-AFRICA-DO-SUL-SEYCHELLES-MAURICIO-E-ZANZIBAR-TANZANIA

#3 | TAILÂNDIA

Estive na Tailândia recentemente e voltei completamente apaixonada. É um desses países completos, que unem muuuuuita cultura e muita história com praias belíssimas, dessas de “protetor de tela do Windows” hahaha. Sem falar que os hotéis, os restaurantes e o serviço são maravilhosos, portanto, indo pra Tailândia, você terá uma lua de mel perfeita!!

No seu roteiro, inclua Bangkok, a capital fervilhante do país, e Chiang Mai, ao norte, conhecida como a capital espiritual. Dê uma esticadinha até Chiang Rai, na fronteira com Myanmar e Laos e depois deleite-se nas praias do Mar de Andaman: Phi Phi (onde fica a famosa Maya Bay!!), Krabi (Railay e Phranang Beach) e Phuket.

Tailândia era o meu destino de lua de mel até eu descobrir que outubro é um dos piores meses para ir por causa chuvas de monções!

  • Melhor época para ir: de novembro a março (estação seca).
  • Quanto tempo ficar: em torno de 15 dias, pra aproveitar bem as cidades e as praias. Adicione dias extras se quiser mais tempo de praia.
  • Como chegar: saindo do Brasil, a melhor jeito é ir via “Arábias”, voando Emirates (conexão em Dubai), Etihad (conexão em Abu Dhabi) ou Qatar (conexão em Doha). Mas também dá pra ir via Europa.

[img class="size-medium wp-image-890040" src="https://catracalivre.com.br/wp-content/uploads/2015/06/02-lua-de-mel-tailandia-bangkok-vertigo-450x300.jpg" alt="Vertigo and Moon Bar em Bangkok" width="450" height="300" ]

Vertigo and Moon Bar em Bangkok[/img]

A caminho de Chicken e Poda Islands, Krabi[/img]

#4 | GRÉCIA + TURQUIA ou JORDÂNIA

– GRÉCIA

A Grécia com certeza é um país que está na lista de qualquer viajante. Mesmo depois de conhecê-la, ela continuou na minha lista… Quero voltar! Uma união de paisagens de tirar o fôlego, super hotéis, cidades lindas, fofas e românticas, praias únicas e uma história milenar.

Para um roteiro de lua de mel, recomendo ficar uns 2 dias em Atenas para conhecer um pouco da capital e de sua história fantástica, e depois partir rumo às ilhas: Mykonos, a mais agitada (mas que também tem todo o clima de casal apaixonado – para todos os gostos!!) e Santorini, o máximo do romântico que algo pode ser.

  • Melhor época para ir: de maio a final de agosto, quando o clima ainda está ótimo o bastante para aproveitar as praias.
  • Quanto tempo ficar: de 8 a 10 dias entre Atenas, Mykonos e Santorini.
  • Como chegar: não há vôos diretos saindo do Brasil, mas é muito fácil chegar fazendo uma conexão em qualquer outro país da Europa.

Para ir de Atenas a Mykonos ou a Santorini é possível ir de avião (aprox. 40 min de vôo de Aegean Airlines) ou de ferry (aprox. 4h de navegação). Para ir de uma ilha a outra existem dezenas de opções de ferries e também alguns vôos na alta temporada da Condor.

– TURQUIA

Nada combina tanto com uma viagem a Grécia como a Turquia! Eu fiz as duas juntas e amei! Achei que se complementam muito! :)

Já comentei sobre a Turquia ali em cima, na combinação de destino nº 1, para fazer Maldivas + Turquia. E aqui está ela de novo!

Nesta ideia de combinação de destinos nº 4, Grécia + Turquia, recomendo conhecer também a Riviera Turca, onde estão as cidades de Bodrum (cada vez mais bem falada!!) e outras menores como Antalya e Fethiye. Além, claro, de Istambul, Capadócia e Pamukkale (e Éfeso, se couber no roteiro.).

A Riviera Turca está suuuuper na moda na Europa!! Bodrum foi apelidada de “Montecarlo do Mar Egeu” por causa dos muitos iates ancorados em suas marinas durante o verão. E a cidade é um charme que só… Casinhas, flores, ruelas, praias e construções históricas.

  • Melhor época para ir: de maio a fim de agosto, para pegar tempo bom na Riviera Turca.
  • Quanto tempo ficar: cerca de 10 dias (4 noites em Istambul, 2 na Capadócia e 3 ou mais na Riviera Turca).
  • Como chegar: vôo direto Brasil-Istambul com a Turkish Airlines. Para juntar Turquia com Grécia, há diversos vôos diretos entre os dois países (apenas 1h30 de vôo entre Atenas e Istambul). Voe Turkish Airlines, Pegasus Airlines ou Aegean Airlines.

– JORDÂNIA

Outro destino fabuloso, que casa perfeitamente com Grécia, e também com Turquia, se você tiver bastante tempo disponível para viajar e fazer os 3 países de uma vez.

A Jordânia está localizada no Oriente Médio, entre Egito, Arábia Saudita, Iraque, Síria, Israel e Cisjordânia (certeza que seu primeiro pensamento foi – “epaaaa! E não é perigoso?!” rsrs). Mas o país é um exemplo de paz e estabilidade e é hoje um destino turístico super procurado e também muito seguro. E não fica muito distante da Grécia e da Turquia (eu conheci o Oriente Médio justamente quando fui a esses dois países).

Um lugar que reúne MUITA história (imagine o quão lindo deve ser Petra, uma cidade inteira escavada na rocha – uma das maravilhas do mundo moderno), atividades exóticas, boa comida, diversão e descanso no Mar Morto (que tal flutuar sem boia e se lambuzar de lama!??!).

Estando lá, visite: Amã, a capital, Petra e Mar Morto, ficando em algum dos super hotéis da região.

  • Melhor época para ir: entre maio e outubro, quando as chuvas quase não aparecem. Porém, para evitar o calor extremo, prefira ir em abril, maio, setembro ou outubro.
  • Quanto tempo ficar: por volta de 6 dias, divididos entre os três destinos (Amã, Petra e Mar Morto).
  • Como chegar: existem vôos diretos entre Atenas e Amã, com duração de aprox. 2h30 de viagem. Voe Aegean Airlines, Royal Jordanian ou EgyptAir. A Royal Jordanian e a Turkish Airlines fazem vôos diretos entre Istambul e Amã. Se quiser ir do Brasil direto para Jordânia, vá via Europa (Air France, KLM, British Airways etc.) ou via Arábias (Emirates, Etihad e Qatar).

#5 | INDONÉSIA

A Indonésia está localizada no Sudeste Asiático, mas já tão próximo a Austrália que pode ser considerado um país transcontinental, estando na Ásia e na Oceania. É o maior arquipélago do mundo, formado por mais de 17.000 ilhas. Um país extremamente religioso, com mais de 87% da população muçulmana. O que é até engraçado, já que muita gente tem uma imagem da Indonésia relacionada a templos hinduístas e budistas. É que Bali, a ilha mais conhecida pelos turistas, é totalmente hindu e concentra quase todos os praticantes dessa religião do país.

A Indonésia, assim como a Tailândia, é um desses países completos, nos quais, mesmo sem atravessar a fronteira, você poderá ter experiências religiosas, culturais e de puro descanso em praias belíssimas.

A ilha de BALI é grande, por isso muitos turistas acabam nem saindo dela. Há várias coisas para conhecer ali mesmo: Nusa Dua (onde se concentram os hotéis de praia mais lindos da ilha), Ubud(não tem praia, mas é o centro cultural da ilha, com uma atmosfera bacana, cheia de templos, restaurantes, lojas e “gente real”. É daí que partem os passeios para os arrozais.), Kuta /Seminyak / Legian (paraísos dos surfistas, com vida jovem e agitada), e ainda tem as dezenas detemplos maravilhosos e muito sagrados, espalhados por toda a ilha.

Quem quiser conhecer ainda mais da Indonésia, vale dar uma esticadinha a JAVA, onde está o maior templo budista do mundo, o Borobudur, que fica em uma região de florestas e vulcões. Outra esticada é ir até a ILHA DE KOMODO, no Mar de Flores, onde vivem os lendários dragões de komodo.

  • Melhor época para ir: quente o ano todo, existem apenas duas “estações” (seca e chuvosa – como todo o sudeste asiático). A melhor época é de abril a final de setembro, quando chove menos.
  • Quanto tempo ficar: a partir de 10 dias, para conhecer além de Bali.
  • Como chegar: melhor jeito de chegar em Bali saindo do Brasil é voando Emirates (Dubai), Etihad (Abu Dhabi) ou Qatar (Doha), fazendo 1 conexão em seus respectivos hubs.

05_MAPA_LUA_DE_MEL_INDONESIA

Créditos: 05_MAPA_LUA_DE_MEL_INDONESIA

#6 | AUSTRÁLIA + NOVA ZELÂNDIA ou TASMÂNIA ou FIJI

– AUSTRÁLIA

Que país fantástico é esse! Não conheço quem tenha ido ou morado e não se apaixonou. Esse é outro país “completo”, que se você não tiver muito tempo livre extra, vale a viagem apenas pra lá, sem “casar” com nenhuma outra sugestão minha aqui, pois há uma verdadeira imensidão de coisas para fazer e conhecer. Praias, cidades modernas, atrações culturais, mergulho, desertos, vinícolas… (canguru também conta, né?! Mega diferente!! hahaha).

Na sua viagem, conheça Melbourne, Sydney, e alugue um carro para ir dirigindo pela costa, bordeando o Pacífico, até Brisbane, passando por Hunter Valley (uma das regiões produtoras de vinhos da Austrália) e Byron Bay.

Gosta de mergulhar? Que tal conhecer a maior barreira de corais do mundo (Great Barrier Reef)? E ainda é possível dormir em um barquinho sob as estrelas. Deve ser mágico.

E ainda tem uma das praias mais lindas do mundo, a Whitehaven Beach, que fica na ilha de Whitsunday Island, acessível por barco.

E mesmo depois de ir a isso tudo, ainda há o outro lado inteeeeiro do país (oeste) para conhecer!!

[img class="size-medium wp-image-890098" src="https://catracalivre.com.br/wp-content/uploads/2015/06/01_SYDNEY-AUSTRALIA-LUA-MEL-450x311.jpg" alt="Sydney | foto: travelnewsdigest.in" width="450" height="311" ]

Sydney | foto: travelnewsdigest.in[/img]

– NOVA ZELÂNDIA

Já que você foi até tão longe, melhor esticar sua viagem para a remota vizinha Nova Zelândia, né?! :) O país, distante de tudo (2.000km do sudeste da Austrália), é formado por duas ilhas principais (Norte e Sul) e por diversas outras ilhas menores. Esse isolamento todo (apenas territorial, pois o país é parte do Reino Unido) fez com que belezas únicas estivessem concentradas apenas ali.

Conheça Auckland, que não é a capital, mas é a cidade mais populosa, localizada na North Island, a parte mais “quente”. Vá também a Queenstown, no sul, nas margens do Lago Wakatipu, considerada a cidade mais bonita e mais legal do país, famosa também pelos vinhos produzidos nos arredores. Outra atração do sul é o fiorde Milford Sound (parece até filme!! Beleza sobrenatural!). Outro local que merece ser visitado é Rotorua, conhecida por seus termas, piscinas de lama, lagos coloridos e gêiseres, e também por ser um local onde a cultura Maori está mais preservada.

  • Melhor época para ir: o melhor é ir de dezembro a fevereiro para pegar o verão, com clima mais quente e dias mais longos. Mas indo de outubro a abril você vai aproveitar super também.
  • Quanto tempo ficar: por volta de 10 dias.
  • Como chegar: saindo da Austrália (Sydney ou Melbourne) há vários vôos diretos para Auckland e Queenstown. Voe Jetstar, Virgin Australia, Air New Zealand ou Qantas. Se quiser ir pra Nova Zelândia saindo do Brasil, o jeito mais fácil é voar TAM/LAN e fazer uma conexão no Chile.

– TASMÂNIA

É uma ilha-estado da Austrália, selvagem e pouco povoada. É lá que vive o tal do diabo-da-tasmânia (sim, o Taz existe!! E é também chamado de demônio-da-tasmânia), um mamífero marsupial que se alimenta de carniça e outros pequenos animais.

Bom, deixando o “demônio” pra lá, a Tasmânia possui paisagens maravilhosas, que valem a pena serem visitadas. Algumas delas são: Península de Freycinet, onde fica a praia Wineglass BayHobart (a capital) e Cradle Mountain.

Uma ideia legal é alugar um carro para percorrer a ilha, mas só cuidado que é mão inglesa (assim como Austrália e Nova Zelândia).

  • Melhor época para ir: de outubro a abril.
  • Quanto tempo ficar: por volta de 4 ou 5 dias.
  • Como chegar: há ferries que ligam Melbourne à ilha da Tasmânia (uma noite de viagem). Outra forma é ir de avião. Várias cias aéreas (Jetstar, Virgin Australia, TigerAir e Qantas) fazem diretamente o trajeto Sydney ou Melbourne – Hobart (Tasmânia). A duração do vôo é de 1h15 a 2h.

– FIJI

Outro arquipélago mais do que remoto, que concorre com Maldivas e Polinésia Francesa ao título de mais romântico do planeta. O país é formado por 322 ilhotinhas, a maioria desabitada. Alguns hotéis chegam a ocupar uma ilha por completo. Provavelmente você ouve muito falar nesse nome por causa daquela marca de água, sabe?! :D

Uma curiosidade: Fiji é o primeiro país onde se inicia cada novo dia na Terra.

As ilhas são conhecidas pelas águas transparentes, calmas em alguns pontos e com ótimas ondas para surf em outros, areia branquinha e locais maravilhosos para mergulho de cilindro ou snorkel. Diferente das Maldivas ou Polinésia Francesa, os hotéis de Fiji são menores (porém, muito charmosos!!). É que o local é protegido e as terras não podem ser vendidas para estrangeiros.

  • Melhor época para ir: entre maio e outubro, que é a estação seca (e também época com menor probabilidade de ciclones).
  • Quanto tempo ficar: quanto tempo você gosta de ficar em um paraíso isolado?? Eu recomendaria 5 dias (que foi o que fiquei nas Maldivas), ou no máximo 1 semana! Mas depende do seu gosto. :)
  • Como chegar: vôos diretos de Sydney em alguns dias da semana (4h de viagem) voando Fiji Airways. Se quiser ir para Fiji saindo do Brasil, o jeito mais fácil é ir via Los Angeles, de onde você pode pegar um vôo direto de ~11h até o arquipélago (cias aéreas: Qantas e Fiji Airways).

19_MAPA_LUA_DE_MEL_australia_fiji_nova_zelandia_tasmania

Créditos: 19_MAPA_LUA_DE_MEL_australia_fiji_nova_zelandia_tasmania

#7 | CALIFÓRNIA (EUA) + POLINÉSIA FRANCESA

E por último, mas não menos incrível, uma ideia de roteiro que junta a Califórnia, o estado mais legal dos Estados Unidos, na minha opinião, com um paraíso dos sonhos de qualquer casal: Tahiti, Bora Bora, Moorea, Papeete… Provavelmente você já viu alguma foto maaaraaa de um desses lugares!! ;)

– CALIFÓRNIA

A Califórnia é linda! Tive a sorte de ter morado lá por um tempinho. E dependendo do tempo disponível, dá pra fazer taaanta coisa incrível! Chegue em San Francisco, conheça a cidade e depois alugue um carrão conversível. Vá para Sonoma & Napa Valley (delícia de vinhos e vinícolas maravilhosas) e depois vá descendo a Highway 1, bordeando o Oceano Pacífico (que vista!!!) passando por Monterrey, Carmel, Big Sur, Santa Bárbara, Santa Monica e Los Angeles. Se estiver animado, dá ainda pra esticar até San Diego!

Dependendo da época, esquiar na Califa também é o máximo. Se você gosta, vá para South Lake Tahoe (Heavenly). Tem muita opção de hotelzinho romântico por lá.

  • Melhor época para ir: qualquer época do ano, mas os meses de outubro a março são bem frios no norte do estado (no sul, como em LA, não atrapalha em nada!).
  • Quanto tempo ficar: 12 dias, considerando Sonoma & Napa Valley (vinícolas) mas não incluindo San Diego e esqui em South Lake Tahoe.
  • Como chegar: não existem vôos diretos do Brasil para San Francisco, mas você pode chegar fazendo apenas 1 conexão. American Airlines, TAM e Delta fazem o trajeto com paradas em Dallas, New York, Miami ou Los Angeles.

[img class="size-medium wp-image-890166" src="https://catracalivre.com.br/wp-content/uploads/2015/06/02-fishermans-wharf-san-francisco-lua-de-mel-na-california-450x338.jpg" alt="San Francisco" width="450" height="338" ]

San Francisco[/img]

– POLINÉSIA FRANCESA
(Tahiti/Papeete, Bora Bora, Moorea e Taha’a)

Deixei a cereja do bolo para o fim do post! :) Mas pra falar a verdade, acho que todos os destinos apresentados aqui são igualmente incríveis.

A Polinésia Francesa, um território ultramar da França, é formada por quase 120 ilhas e atóis. A mais conhecida delas é o Tahiti. E é no Tahiti que está a capital do arquipélago, Papeete, onde fica o aeroporto internacional e onde vive a maior parte da população. É uma cidade mais desenvolvida, com restaurantes, bares, hotéis, lojinhas etc.

Você já irá se encantar por Papeete, mas ainda tem mais. Vá para algum hotel bonitão na tão sonhada Bora Bora, ou em Taha’a, a vizinha maravilhooooosa de Bora Bora (50 minutos de vôo – Air Tahiti). Você também pode ir para Moorea, a ilha turística mais próxima da ilha do Tahiti. Ou melhor, vá para TODAS elas! hehehe! Óbvio!

É água azul turquesa, bangalôs sobre o mar e muito descanso o que você quer? Então a Polinésia Francesa peeeede pra ser seu destino de lua de mel!!

  • Melhor época para ir: de maio a outubro, considerada a época seca.
  • Quanto tempo ficar: aproximadamente 1 semana, distribuindo os dias entre algumas ilhas (ex: 1 em Papeete, 3 ou 4 em Bora Bora, 2 em Taha’a e 1 ou 2 em Moorea). Se tiver menos tempo de férias, fique uma noite em Papeete, onde você vai chegar e de onde vai embora, e o restante em Bora Bora.
  • Como chegar: se aceitar minha sugestão de juntar Tahiti com Califórnia, fica super fácil chegar na Polinésia Francesa (Papeete – PPT) saindo de Los Angeles (LAX). São aproximadamente 8 horas de vôo direto (cias aéreas: Air France, Air Tahiti Nui, Qantas e US Airways). Quem quiser ir pro Tahiti direto do Brasil, um dos jeitos mais fáceis também é ir via LA.

Além de Polinésia Francesa, dá também para combinar com Califórnia uma viagem ao HAVAÍ (tenho muuuita vontade de conhecer), pois são aproximadamente 6h de vôo direto saindo de Los Angeles ou de San Francisco.

Um pouco mais longe, mas também com vôo direto, está FIJI, que comentei na opção de roteiro nº 6. São 11h30 de vôo saindo de Los Angeles (Fiji Airways).

E aí, ficou doido pra casar? Ou para viajar?? Espero que as duas coisas!!! E que continuem viajando muuuuuuito mesmo depois de casados!! Afinal, quem disse que lua de mel precisa ser só uma vez? Olha quanto lugar lindo nesse mundão afora! Viajar é o melhor investimento do casal, sempre!!!

Espero que tenham gostado das combinações, dos destinos, das fotos… E que eu tenha ajudado um pouquinho na decisão! :) Ou confundido mais?! hahahaha

Por LALA REBELO
WWW.LALAREBELO.COM

 

Imagem Autor

Lala Rebelo é autora do blog de viagens LALAREBELO.COM. Já morou em 6 países e viajou para mais de 60. Apaixonada por culturas diferentes, piscinas e azul turquesa.

+ posts do autor

Rede Catraca Livre

Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do usuário da Rede Catraca.

O Catraca Livre disponibiliza espaço no site para que qualquer interessado possa contribuir com cidades mais acolhedoras, educadas e criativas, sempre respeitando a diversidade de opiniões.

As informações acima são de responsabilidade do autor e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.