“Na verdade, a palavra ‘inclusão’ não é boa. O ato de incluir parte do pressuposto que alguém está excluído e, se tratando de crianças com deficiência, ninguém está excluído. Todas são diferentes, mas fazem parte do mesmo grupo que as crianças sem deficiência. Afinal, são todas crianças",  diz Rodolfo Henrique Fischer, o homem que quer inaugurou quatro novos “parques acessíveis”.

Ele e sua esposa Claudia Fischer perderam a filha, Anna Laura Fischer, em 2012, após um acidente de carro. O projeto "Anna Laura Parques Para Todos", já existem parques em Recife, São Paulo (Parque da Mooca, Parque do Cordeiro e Apae Araraquara).

Projeto

O projeto traz consigo algo definido por seus criadores como um “novo conceito de acessibilidade”. Não se trata de inclusão, mas de integração. “O parque é para todos e pode ser aproveitado tanto por crianças com deficiência como por crianças sem deficiência”, explica Rudi. “Temos ainda a intenção de transformá-los em polos de atividades culturais e esportivas para pessoas com deficiência.”

Veja imagens dos parques que já estão prontos

1/8

 

2/8

 

3/8

 

4/8

 

5/8

 

6/8

 

7/8

 

8/8

 

  •  

    1/8

  •  

    2/8

  •  

    3/8

  •  

    4/8

  •  

    5/8

  •  

    6/8

  •  

    7/8

  •  

    8/8

 Endereços em São Paulo

1. AACD – Mooca (SP): Rua Taquari, 549. Telefone: (11) 2081-6199

2. Parque do Cordeiro (SP) : Rua Breves, 968 – Chácara Monte Alegre

3.  Apae Araraquaera (SP)Rua Hipólito J. Costa Cientista Frederico de Marco, 750, Araraquara