A atriz Jane Fonda, de 79 anos, decidiu quebrar o silêncio sobre abusos que sofreu no passado. Em entrevista à também atriz Brie Larson para a THE EDIT, a estrela de "Grace and Frankie" revelou ter sido estuprada na infância e assediada por um ex-chefe.

"Fui estuprada e abusada sexualmente quando era criança. Também já fui despedida por não ter dormido com meu chefe. Sempre pensei que tudo isso fosse minha culpa, que isso acontecia porque eu não tinha falado ou feito alguma coisa certa", contou. Para ela, ataques como esses são fruto “do patriarcado que tem gerado um forte impacto negativo sobre as mulheres”.

Ativista pela luta dos direitos das mulheres, Fonda criou uma instituição que atua na prevenção da gravidez na adolescência, a Jane Fonda Center for Adolescente Reproductive Health.

Créditos: Reprodução / Facebook Jane Fonda

A atriz Jane Fonda

“Conheço garotas que foram estupradas e não sabiam. Elas pensam: ‘Deve ter sido porque eu disse ‘não’ do jeito errado”, disse. Enquanto ativista, a atriz diz que quer ajudar vítimas de abuso sexual a "entenderam que a culpa nunca é delas".

Há alguns anos, a atriz já havia tornado público alguns assuntos de sua vida pessoal. Em 2014, ela revelou que sua mãe tinha sido abusada e, por isso, cometeu suicídio. Sua mãe tirou a própria vida quando a atriz tinha apenas 12 anos.

“Naquele momento soube os motivos da promiscuidade, das cirurgias plásticas intermináveis, da culpa e da sua incapacidade de amar ou de ter intimidade. Naquele momento a perdoei e me perdoei."

  • Dizer não ao assédio é não aceitar mais que mulheres sejam vistas como objetos sexuais passivos ou como vítimas frágeis do poder dos homens. Dizer não ao assédio é afirmar que as mulheres podem e devem ter controle sobre a própria sexualidade. Saiba como agir em caso de assédio sexual.