De acordo com uma pesquisa do Catraca Livre, 491 mulheres (82,8%), de um total de 593 participantes, afirmam já ter sofrido assédio sexual durante o Carnaval. Mais um caso aconteceu neste sábado, 25, com duas mulheres que participavam do Bloco 77 - Originais Do Punk, na zona oeste de São Paulo.

Os organizadores do bloco expulsaram o homem do cortejo logo que foram avisados da situação. "Ele estava passando a mão e tentando agarrar duas meninas que são do bloco", explicou Anderson Boscari, um dos organizadores do cordão ao Catraca.

"Quando soube, membros da equipe de apoio já estavam tirando o cara, o problema é que ele não queria sair", disse. Além deles, muitas pessoas que estavam próximas também pediram a saída do homem. O organizador afirmou que "O Bloco 77 não vai tolerar nenhuma atitude desse tipo".

Juliana Bueno

Créditos: Juliana Bueno

Bloco 77 - Originais Do Punk desfila pelas ruas da Vila Madalena

  • O Bloco 77 - Os Originais do Punk, que traz em seu repertório clássicos do gênero punk em ritmo de marchinha, desfila novamente em 27 de fevereiro, segunda-feira, às 15h. Confira aqui a programação.

"Sempre passamos um aviso antes do início do cortejo para que se qualquer pessoa tiver qualquer tipo de problema nos procurar, para que possamos ajudar", completou Boscari. No Carnaval deste ano, o cortejo trouxe como tema o fim da polícia militar, o combate à homofobia e à discriminação.

Na página oficinal do bloco no Facebook as mensagens de apoio às causas são claras: "racistas, machistas, homofóbicos, transfóbicos, sexistas e xonófobos não são bem-vindos. A festa e a rua são nossas, de todos nós, é de quem colar, de quem quiser se divertir e prestigiar o punk rock brasileiro semeando a diversidade e respeitando as diferenças".

O abadá do cortejo também passa essa mensagem. O bloco está participando da corrente de Carnaval #MinasDeVermelho, em que mulheres com faixas vermelhas no braço criam uma rede de suporte para situações de assédio. Quando algo acontecer, a vítima pode procurar os organizadores sabendo que pode contar com eles.

Campanha #CarnavalSemAssédio

Pelo segundo ano consecutivo, o Catraca Livre promove a campanha #CarnavalSemAssédio com o objetivo de lutar por respeito na folia e pelo fim da violência contra a mulher. Quem está com a gente: a revista "Azmina" e os coletivos "Agora é que são elas", "Nós, Mulheres da Periferia" e "Vamos juntas?".

  • Como parte da campanha, produzimos vários materiais que podem ser compartilhados nas redes sociais com a hashtag #CarnavalSemAssédio. Participe você também. Confira o conteúdo neste link.

Imagem Autor

Jornalista e redatora, cobre assuntos de Educação e Universidades no Catraca Livre. É integrante da Mural, primeira agência de jornalismo das periferias de São Paulo.

+ posts do autor