O Ministério Público do Paraná (MP-PR) denunciou o ex-participante do Big Brother Brasil, Laércio de Moura, de 53 anos, por crimes de estupro, fornecimento e tráfico de drogas. Caso a Justiça aceite a denúncia, ele poderá pegar até 68 anos de prisão.

De acordo com o inquérito, Laércio foi denunciado por dois estupros numa mesma vítima e tentativa em outra. As provas que incriminam o designer de tatuagem foram encontradas pela polícia em arquivos de mídia, como computador, pen drives e celulares. Também serão incluídas as informações no inquérito concluído pela delegada Daniela Corrêa Antunes Andrade, do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente.

Laércio foi transferido para uma cela com outros cinco presos, acusados pelo mesmo crime, após um período de adaptação na área de triagem da Casa de Custódia de Curitiba (CCC).

Créditos: Divulgação/Gshow

Laércio causou polêmica durante participação no BBB

Polêmica

Laércio de Moura foi eliminado do Big Brother Brasil em fevereiro deste ano, após enfrentar Ana Paula, seu maior desafeto na casa. A participante criticou a maneira como ele encarava Munik e Maria Claudia, as mais novas desta edição, e chegou a chama-lo de pedófilo por ter tido relacionamentos com garotas de 17 e 19 anos.

Durante o programa, o ex-BBB se envolveu em muitas polêmicas. Em rede nacional, Laércio afirmou gostar de uma 'novinha' e em seu Facebook admitiu ser efebófilo – quando um adulto tem atração sexual por adolescentes pubescentes ou pós-pubescentes, geralmente entre 13 a 17 anos.

Na época, internautas relembraram uma história que repercutiu antes de começar o reality show. Uma usuária do Facebook acusou Laércio de abuso sexual com uma menina menor de idade. "Ele já embebedou uma amiga minha de 15 anos, beijou e passou a mão pelo corpo todo dela! Vive dando em cima de menor, distribuindo bebida pras minas e falando que elas parecem mais velhas. Eu tô com raiva de ver ele na TV", escreveu ela em um grupo fechado.