Nada de mandarim, inglês ou esperanto. Há quem diga que a linguagem do futuro é a programação. Sim, essa habilidade de desenvolver programas para computadores e sites para internet, que envolve conhecimentos em JavaScript, Python, Rubi e uma infinidade de outras opções que costumam dar frio na espinha de quem não entende do assunto. Mas para os interessados em decodificar o mundo dos códigos, há cada vez mais opções gratuitas de plataformas on-line. Uma das maiores é a Codecademy.

“Programação é parte das linguagens necessárias no século 21. Nós achamos que programar ajuda a pessoa a ter diferentes pontos de vista e a alcançar seus sonhos”, diz Zach Sims, cofundador dessa startup que acaba de completar um ano e só trabalha com números superlativos, para mais ou para menos. Zach e Ryan Rubinski, ambos fundadores da Codecademy, têm 22 anos – superlativo para menos. Eles conseguiram agora no meio do ano um investimento de US$ 10 milhões – superlativo para mais – para melhorar a plataforma que tem “milhares de usuários em quase todos os países do mundo”, como afirmou Zach ao Porvir. Segundo a Forbes, em junho, eles já tinham tido mais de 50 milhões de exercícios interativos resolvidos das lições que mantém on-line.

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.