Sucesso nos cinemas, "O Exorcismo de Emily Rose", lançado em 2005, retrata o sofrimento da jovem alemã Anneliese Michel, nascida em uma família radicalmente católica em Leiblfing, na Alemanha.

Com os pais e suas irmãs, frequentavam as missas, pelo menos, duas vezes por semana. Quando tinha 16 anos, começou a convulsionar sem grandes explicações, e foi diagnosticada com epilepsia. Na mesma época, a jovem apresentava um quadro de depressão profunda e precisou ser internada. Aos 20 anos de idade, após deixa a igreja, começou a ouvir vozes.

Na adolescência, a jovem religiosa apresentava quadros de depressão

Créditos: Reprodução

Na adolescência, a jovem religiosa apresentava quadros de depressão

No início, Anneliese e sua família estavam convencidos de se tratar de uma possessão demoníaca. Sua crença era tamanha, que interromperam os medicamentos indicados pelo hospital e, logo, recorreram à ajuda da igreja.

Entretanto, os primeiros religiosos que visitaram a Anneliese reforçaram a hipótese da doença, mas a família Michel estava convencida do contrário. Até que um dia foram apresentados aos sacerdotes Ernst Alt e Arnold Renz, que, além de palavras de apoio, realizaram as primeiras sessões de exorcismo.

Registros da época indicam que, nas sessões, a jovem era trancada numa cela, sem comer, beber ou dormir. Os sacerdotes identificaram demônios como que se apresentavam como Lucifer, Caim, Judas Iscariotes, Hitler e Nero.

Onze meses e 67 sessões depois, o corpo de Anneliese não resistiu. Por conta de pneumonia e com os ligamentos dos joelhos rompidos, a autopsia revelou que a jovem morreu por desnutrição e desidratação. Aos 23, pesando 30 quilos.

1/8

 

2/8

 

3/8

 

4/8

 

5/8

 

6/8

 

7/8

 

8/8

 

  •  

    1/8

  •  

    2/8

  •  

    3/8

  •  

    4/8

  •  

    5/8

  •  

    6/8

  •  

    7/8

  •  

    8/8

Consequências do caso Anneliese

Após a tragédia, o episódio deu início a um inteso debate na Alemanha sobre liberdade religiosa e direitos paternais.

Anos mais tarde, tanto os padres como os pais de Anneliese acusados pelo homicídio e negligência. Isentos da pena, os pais não responderam pela morte, enquanto os padres pagaram três anos em liberdade condicional.

Em 2005, quando o filme inspirado na história de Anneliese chegou aos cinemas, os Michel deram uma entrevista em que revelaram acreditar que sua filha fora possuída por um demônio. E que se libertou após a morte.

Assista ao filme na Netflix.