Créditos: reprodução/Facebook/Richard Rasmussen

Richard Rasmussen

O apresentador de TV Richard Rasmussen, que recentemente esteve no noticiário por acusações de maus-tratos, já é um antigo conhecido do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis).

No último dia 8, ele foi acusado de contratar pescadores para que matassem um boto e, com as imagens, forjar uma denúncia no Fantástico, da TV Globo, exibida em 2014.

O programa mostrou imagens chocantes de pescadores matando um boto cor-de-rosa que seria usado como isca para a pesca da piracatinga. Após ser cortado, descobre-se que o animal esperava um filhote.

Mas esta não é a primeira vez em que Rasmussen é acusado de maus-tratos a animais. Em 2005, o Ibama fechou um criadouro mantido por ele em Carapicuíba (SP) desde 1999.

“A equipe do Ibama autuou o proprietário do local, Richard Rasmussen, em R$ 8.500 por encontrar animais sem a documentação legal necessária”, disse a Folha de S. Paulo na época.

“Outras multas, de aproximadamente R$ 280 mil, já haviam sido aplicadas em 2002 pelo mesmo motivo”, continua a reportagem.

O site Notícias da TV diz que teve acesso às autuações, que totalizariam oito nos últimos 15 anos.

"Nós temos uma ficha extensa dele, em razão de diversas irregularidades, uma série de situações em que ele infringiu o regulamento ambiental brasileiro", disse Roberto Cabral, coordenador de operações de fiscalização do Ibama, ao mesmo site.

Em 2010, um duro texto do jornal O Estado de S. Paulo chamava Rasmussen de “economista metido a aventureiro” e “Indiana Jones de Araque”.

A interação de Rasmussen com animais em seu habitat rendeu críticas na mesma publicação. “Isso acarreta estresse aos bichos. Mas ele (Richard) tem de fazer o showzinho dele. Se ele não incomodar o animal, não vai ter audiência”, disse na mesma ocasião Valter Barrela, professor de ecologia da PUC-SP.

O biólogo tem negado as acusações de maus-tratos. "Nunca fui autuado, pessoalmente ou durante meus trabalhos em 14 anos de televisão, por essas infrações. Em nenhum momento sofri qualquer autuação por cativeiro ilegal, manipulação não autorizada de animais silvestres e introdução não autorizada de animais no país", afirmou ao Uol.

  • Leia mais:

Pescadores abatem golfinho e fotos causam comoção no Facebook