O final de ano geralmente é acompanhado de várias comemorações com pessoas queridas, happy hour, champanhe, viagens, sol e sorriso. Mas nem tudo é festa. Quem tem um cachorro ou um gato de estimação sabe bem que os animais sofrem muito nessa época, já que muitos deles se estressam com os barulhos causados por explosivos, como os fogos de artifício.

Truque do pano: será que funciona?

Créditos: xtra

Truque do pano para amenizar o estresse: será que funciona?

Por isso, o Catraca Livre conversou com a veterinária Ana Lucia Sauaia para saber o que fazer para proteger seu animalzinho do barulho dos rojões. Confira:

1. Truque do pano
O truque do pano está se disseminando nas redes sociais. A técnica consiste em atar o cachorro com um pano para que ele se sinta mais seguro e consiga enfrentar barulhos que lhe causam pavor.

"A ideia é fazer com que o animal se sinta 'abraçado'. Recomendo que o dono do animal procure um veterinário para receber orientação de como colocar a faixa. Há alguns casos em que a técnica pode ser perigosa, como, por exemplo, se o animal tiver problema no coração. Por isso, o veterinário deve avaliar cada caso e detectar se a técnica pode ser utilizada", recomenda Ana Lucia.

2. Colocar uma música mais alta ou aumentar o som da TV
A dica pode ser útil para o dia da queima de fogos, para distrair o animal do barulho dos explosivos. Porém, a veterinária lembra que animais são bastante sensíveis a sons altos, por isso essa técnica deve ser utilizada em ocasiões que realmente sejam necessárias.

Algumas pessoas defendem a proibição dos rojões

Créditos: iStock / NYPhotoboy

Algumas pessoas defendem a proibição dos rojões

3. Se for possível, não deixe ele sozinho
Sabe que vai ter uma queima de fogos perto de sua casa? Procure ficar ao lado de seu animal, dessa forma ele se sentirá mais seguro.

4. Se tiver que deixar seu animal sozinho, tome certos cuidados
Vai para uma festa e não pode levar seu cão? "Procure deixá-lo em casa em segurança, mas não amarrado a uma coleira, para ele não se machucar", explica a veterinária.

5. Converse com o veterinário sobre a possibilidade de usar calmantes

Imagem Autor

Repórter no Catraca Livre nas editorias Urbanidade e Mundo Animal.

+ posts do autor