Quando decidimos viajar pro Irã, fomos bombardeados de perguntas como se fôssemos loucos pela escolha do destino da vez. Os anos de embargo comercial não foram boa publicidade para o país e fazer parte do infame "eixo do mal" criado por Bush, menos ainda. Além do mais, as notícias que chegam sobre os conflitos na Síria e no Iraque assustam as pessoas, mesmo que o Irã seja outro país e que esteja em tempos de paz. No fim das contas, o Oriente Médio acaba reduzido a uma só história, mesmo em toda a sua diversidade.

Créditos: Arquivo pessoal

Kashan tem ares de oásis com suas construções cor de terra e calor abafado

A verdade é que o Irã ainda está começando a explorar seu potencial turístico e a hora para visitar o país não podia ser melhor. Já é possível contar com uma boa infra estrutura turística e ao mesmo tempo aproveitar as atrações sem a concorrência das multidões que vemos invadindo as cidades mais famosas do mundo. Hotéis não param de surgir e os primeiros albergues voltados para o público mochileiro começam a abrir as portas nas principais cidades.

Créditos: Arquivo pessoal

O ponto alto dos nossos dias no Irã foi a cidade de Isfahan, um museu a céu aberto

Falando em mochileiro, tire da cabeça a ideia de que viajar pelo Irã só é possível com ajuda de agências de turismo. O viajante independente tem a seu dispor uma excelente rede de ônibus interestaduais baratos e confortáveis e estradas em bom estado de conservação. Para lugares de mais difícil acesso, motoristas particulares podem ser contratados no próprio hotel ou até mesmo numa conversa na rua.

Créditos: Arquivo pessoal

O ponto alto dos nossos dias no Irã foi a cidade de Isfahan, um museu a céu aberto

Se a língua e o alfabeto podem ser um desafio na hora de se locomover, certamente não é uma barreira já que na hora de ajudar turistas perdidos os iranianos fazem jus à fama de ser o povo mais hospitaleiro do mundo. E assim, com segurança, conforto e muita simpatia, o turista pode viajar tranquilo pelo Irã e explorar cidades históricas e vilas milenares, admirar o por do sol no deserto, ficar de queixo caído com as mais belas mesquitas do mundo, conhecer a cultura persa e bater muito papo com os locais.

Créditos: Arquivo pessoal

YAZD, uma cidade espremida entre dois desertos no centro do país e cercada por montanhas áridas.

Algumas questões que ainda podem soar como impedimentos para a viagem, são mais simples de resolver do que parecem. O processo para tirar o visto de turismo, por exemplo, que anteriormente poderia espantar potenciais visitantes, ficou ainda mais fácil agora com a emissão do visto "on arrival" no principais aeroportos do país (saiba como aqui).

Créditos: Arquivo pessoal

Homens e mulheres precisam usar roupas modestas em lugares públicos, turistas inclusive

A questão da vestimenta também pode ser um pouco intimidadora, principalmente para mulheres ocidentais. Por conta das tradições islâmicas conservadoras mantidas e incentivadas pelo governo, homens e mulheres precisam usar roupas modestas em lugares públicos, turistas inclusive.

1/5

Crédito da imagem: Arquivo pessoal

2/5

Crédito da imagem: Arquivo pessoal

3/5

Crédito da imagem: Arquivo pessoal

4/5

Crédito da imagem: Arquivo pessoal

5/5

Crédito da imagem: Arquivo pessoal

DCIM101GOPRO

  • Crédito da imagem: Arquivo pessoal

    1/5

  • Crédito da imagem: Arquivo pessoal

    2/5

  • Crédito da imagem: Arquivo pessoal

    3/5

  • Crédito da imagem: Arquivo pessoal

    4/5

  • Crédito da imagem: Arquivo pessoal

    5/5

    DCIM101GOPRO

No entanto, não é necessário encher a mala de hijabs e mantas, as iranianas urbanas são muito mais modernas e produzidas do que essa mochileira que vos escreve. Jeans, camisas e lenços coloridos vão deixar suas fotos da viagem ainda mais bonitas (saiba mais sobre o que levar na mala aqui).

 Então? Prontos para viajar ao Irã?
Por Clarissa Ferreira e André Garcia, do projeto A Culpa é do Fuso