Créditos: Reprodução/TV Globo

A propina seria para garantir a transmissão de campeonatos como  Libertadores e Sulamericana

A Globo foi citada pela primeira vez no escândalo de corrupção da Fifa, que se desenrola desde 2015. Segundo o "Buzzfeed", o empresário argentino Alejandro Burzaco, delator no caso, afirmou em um depoimento em Nova York, nesta terça-feira, 14, que a emissora teria pago propina para adquirir direitos de transmissão de campeonatos de futebol.

A acusação envolve os direitos de transmissão de campeonatos como Libertadores e da Sulamericana, que a emissora transmite, por meio da Globosat, desde 2012.

Alejandro Burzaco é ex-presidente da produtora Torneos, Tyc, que negociava com os canais de televisão os direitos de transmissão, tanto na Argentina como em outros países da América Latina.

Além da Globo, Burzaco citou também no depoimentos a Fox Sports e o grupo mexicano Televisa, outros canais que também participariam do esquema de propina.

A Globo negou as acusações em um comunicado oficial:

"Sobre depoimento ocorrido em Nova York, no julgamento do caso Fifa pela Justiça dos Estados Unidos, o Grupo Globo afirma veementemente que não pratica nem tolera qualquer pagamento de propina. Esclarece que após mais de dois anos de investigação não é parte nos processos que correm na Justiça americana. Em suas amplas investigações internas, apurou que jamais realizou pagamentos que não os previstos nos contratos. Por outro lado, o Grupo Globo se colocará plenamente à disposição das autoridades americanas para que tudo seja esclarecido. Para a Globo, isso é uma questão de honra. Não seria diferente, mas é fundamental garantir aos leitores, ouvintes e espectadores do Grupo Globo que o noticiário a respeito será divulgado com a transparência que o jornalismo exige".

Leia matéria completa

  • Leia mais:

Globo demitirá Luciano Huck se ele se candidatar, afirma revista