A jovem, Katie Wright, de Austin, Estados Unidos, viu uma publicação em seu Twitter viralizar ao falar como uma 'espinha' e um lápis de sobrancelha podem ser mais perigosos do que parecem.


"Uma semana atrás, eu decidi espremer o que eu pensava ser uma espinha gigante sob minha pele, porque estava doendo há um tempo. Dentro de uma hora, meu rosto inteiro inchou e doía. Parecia que algo iria sair da minha pele”, disse Wright.

Ela só soube que a situação era grave após ser atendida por médicos. Na verdade, tratava-se de um caso de celulite infecciosa, causada geralmente pela bactéria Streptococcus B, que atingiu os tecidos profundos da pele. A jovem descobriu também que a infecção tinha sido contraída devido à má higienização de seu lápis de sobrancelha.

"Os médicos disseram que havia risco de perder a visão ou a minha vida, já que infecção que se espalhava rapidamente. Com a celulite tão perto do cérebro, imediatamente começaram a administrar os antibióticos mais fortes", relatou Katie em sua rede social.

Créditos: @katiewright/Twitter

"Com a celulite tão perto do cérebro, imediatamente começaram a administrar os antibióticos mais fortes", relatou Katie no Twitter

Já em recuperação, Wright decidiu compartilhar sua experiência na esperança de evitar que outras pessoas tivessem o mesmo problema, mas a repercussão a surpreendeu.

“Estou impressionada com as respostas que as pessoas publicaram e realmente feliz que tantas pessoas tenham se inspirado para dar esse passo extra na rotina de maquiagem e LIMPAR SUAS ESCOVAS E UTENSÍLIOS. Não estou brincando quando digo que é crítico”, conclui.

O que é a celulite infecciosa?

Essa infecção cutânea é causada geralmente pela bactéria Streptococcus B e costuma atingir principalmente p rosto e membros inferiores, como explica a dermatologista Bhertha Tamura em matéria do Minha Vida, parceiro do Catraca Livre.

“A celulite infecciosa se apresenta como uma área dolorida, avermelhada, com calor local e inchaço, com possível porta de entrada (ou seja, ferida de pele). O quadro, quando piora, provoca febre, calafrios, mal estar, enjoo, vômitos e se ocorrer no rosto pode piorar em poucas horas, especialmente quando ocorre nas crianças”, explica a especialista.

Segundo ela, o tratamento deve ser iniciado imediatamente após o diagnóstico médico, ministrando doses sistêmicas de antibióticos - via intramuscular ou endovenosa – e na maioria dos casos o paciente deve ficar internado para observação.

O problema é grave e é muito importante tratá-lo rapidamente para evitar a propagação da infecção “Deve-se procurar assistência médica o mais rápido possível, e há óbito justamente pela desvalorização do processo e desinformação dos pacientes, com atraso no tratamento, que por si só já é complicado pela possibilidade de falta de resposta ao antibiótico ou o quadro já estar numa fase de infecção generalizada”, alerta Tamura. Leia matéria completa.

Espinhas e cistos que bombam nas redes sociais