Um estudo publicado na revista médica britânica "Lancet" mostrou que o número de crianças e adolescentes obesos no mundo se multiplicou por mais de dez desde 1975. Contudo, o índice continua sendo menor do que o de crianças abaixo do peso. As informações foram publicadas pela France Presse no G1.

Créditos: iStock/energyy

Em 2016, 124 milhões de crianças e adolescentes entre 5 e 19 anos foram considerados obesos

Em 1975, 11 milhões de crianças e jovens entre 5 e 19 anos eram considerados obesos. No ano passado, esse número saltou para 124 milhões, segundo levantamento realizado pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

O fenômeno é observado em todas as regiões do mundo, com destaque para algumas ilhas da Polinésia, como as ilhas Cook, onde mais de 30% entre 5 e 19 anos são obesos; e Estados Unidos, Egito e Arábia Saudita, onde a porcentagem chega a 20%.

De acordo com os autores da pesquisa publicada no "Lancet", se as tendências observadas forem mantidas, a obesidade juvenil ultrapassará a insuficiência de peso até 2022.

As previsões são preocupantes. Em matéria da repórter Gabriela Ingrid para o UOL, Denise Iezzi, co-coordenadora do Núcleo de Obesidade e Transtornos Alimentares do Hospital Sírio Libanês, afirma que em 2030 haverá um aumento importante da obesidade infantil, e que países como Índia, China e Brasil encostarão nos índices dos EUA.

Para a especialista, os grandes culpados pelo crescimento desse índice são o aumento do poder aquisitivo e a tecnologia, que faz com que os jovens passem a maior parte do tempo sentados.

Consumo de álcool cresce entre jovens do programa #Tamojunto