O Brasil é o maior gerador de lixo eletrônico da América Latina, responsável por 36% do descarte de equipamentos como celulares e televisores. Em 2014, o país produziu 1,4 milhão de toneladas de lixo eletrônico, de acordo com relatório da Organização das Nações Unidas (ONU).

Em 2017, a situação deve se agravar, pois o sinal analógico das emissoras de TV será desativado na região metropolitana de São Paulo nesta quarta-feira, dia 29 de março. O número de descarte ilegal pode aumentar em um curto espaço de tempo e prejudicar a contaminação do solo.

O Brasil é o maior gerador de lixo eletrônico da América Latina

Créditos: Divulgação / Coopermiti

O Brasil é o maior gerador de lixo eletrônico da América Latina

Segundo a previsão da Anatel, o sinal analógico de TV será desligado em São Paulo e nos 38 municípios da região metropolitana. Enquanto muitas famílias buscam a antena de conversão digital, outras vão optar por se desfazer dos antigos aparelhos e investir em uma televisão já compatível com a emissão.

Mas onde entregar os televisores para descartá-los de forma correta? De acordo com a Coopermiti, em São Paulo, o lixo não é a destinação correta, pois os produtos analógicos contam com partes tóxicas e elementos químicos que podem vazar e contaminar o solo, lençóis freáticos e as pessoas.

"Estes equipamentos podem liberar materiais como mercúrio, cádmio, cobre, cromo, entre outros que, caso dispostos em aterros não licenciados e controlados, podem contaminar o solo e atingir o lençol freático, causando grande impacto ao meio ambiente e ao ser humano", afirma Alex Pereira, presidente da cooperativa de lixo eletrônico.

Veja os endereços que recebem os aparelhos em São Paulo:

Coopermiti - Rua João Rudge, 366 – Casa Verde – São Paulo

(11) 3666-0849 - Para mais informações acesse o site.

EcoBraz - Rua Padre Otto Maria, 104 – Vila Formosa – São Paulo

(11) 4329-2001

  • Dica importante:

Saiba como mudar sua TV analógica para digital sem gastar nada