Há quem negue o aquecimento global e acredite que a floresta amazônica é tão grande que está longe de acabar, mas um vídeo recém-lançado pelo Google prova o contrário. Composto de registros fotográficos realizados pelos satélites LandSat da NASA desde 1972, a montagem retrata as mudanças da superfície terrestre nos últimos 40 anos.

PLATAFORMA

Earth Engine 

Para a produção do vídeo foram utilizadas imagens de 1.78 terapixels feitas a cada 16 dias. O resultado revela progressões assustadoras, como o desmatamento da Amazônia e o derretimento das calotas polares.

Fonte: Ciclo Vivo