Qual será seu destino no próximo feriadão? Escolha entre o sossego da Ilha do Cardoso e a rica herança cultural de Iguape, pertinho da Estação Ecológica da Jureia --dois cases de sucesso de turismo de base comunitária no litoral sul de São Paulo.

Relax na Ilha do Cardoso

O lugar

Créditos: Evandro Monteiro

Praia de Folinhos, no núcleo Marujá

A Vila de Marujá fica em Cananeia, a 300 quilômetros da capital. O lugar é protegido pelo Parque Estadual da Ilha do Cardoso, um paraíso repleto de Mata Atlântica que pode ser explorado de barco, de bicicleta, a pé...  Ali não há sinal de internet ou celular, ou seja, a ideia é se desconectar do mundo por quantos dias você achar necessário.

O programa imperdível

Caminhar pelas trilhas ou até restingas, pedalar nos 18 quilômetros de praias praticamente intocadas. Há muitas experiências incríveis na ilha, mas os passeios de barco para ver golfinhos é que costumam apaixonar os viajantes.

O turismo de base comunitária

Créditos: Mônica Barroso/Garupa

Vila de Marujá

Da década de 1960 até os anos 90, a região passou por uma forte especulação imobiliária e os moradores dependiam financeiramente das casas de veraneio, onde trabalhavam como empregados. Mobilizada, a comunidade conseguiu reverter essa situação por meio do turismo de base comunitária (o case tornou-se conhecido internacionalmente).

Hoje, a maior parte da renda que sustenta as famílias do Marujá vem do turismo.

Plano de viagem

A Rede Caiçara de Turismo coordena as reservas. No site você encontra todas as dicas úteis para a sua viagem --da lista completa de passeios até o que é fundamental levar na bagagem.

A cultura preservada Iguape

O lugar

Créditos: Estação Ecológica da Jureia/Renato Suelotto

Estação Ecológica da Jureia

Iguape está a 200 quilômetros de São Paulo. O casario histórico da simpática cidade é só o começo da viagem que explora a maior faixa contínua de Mata Atlântica do Brasil, entre os litorais de São Paulo e do Paraná.

É nesse cenário de natureza conservadíssima que você passeia de canoa pelo mangue, toma banho de cachoeira, aproveita a tranquilidade das praias e caminha até o alto do morro para admirar o inesquecível pôr do sol.  

O programa imperdível

A cultura gastronômica caiçara está preservada no Restaurante da Marília, em Iguape. No caminho para a Barra do Ribeira e para a Estação Ecológica da Jureia, na região do Lagamar, a casa representa o melhor da culinária local --como o peixe fresco assado acompanhado por farofa de banana.

Outra forte manifestação da cultura caiçara, a música de fandango é o ritmo que costuma acompanhar as refeições.

Selo Facilite

O turismo de base comunitária

O empreendimento de Dona Marília não beneficia apenas a ela, mas a toda a rede de pequenos empreendedores ligados à operação do restaurante, desde o pescador até os artesãos e o grupo de fandango.

Como uma das poucas opções de alimentação na região, o restaurante também gera fluxo de visitantes para os passeios de barco pelo Lagamar.

 Plano de viagem

O da Marília fica na comunidade de Vila Nova, na Estrada da Barra, em Iguape. Ligue antes para confirmar o funcionamento e fazer sua reserva: (13) 98142-7939.

Clique aqui para conhecer outros destinos do “Guia Garupa do Brasil Autêntico”.

Texto publicado originalmente no site da Garupa em 02/04/2018

***

Viajar pode fazer mais. Por você e pelos lugares que visita. Este é o lema da Associação Garupa, Organização Social de Interesse Público (OSCIP) que trabalha com o turismo sustentável como ferramenta para promover distribuição de renda e preservação de riquezas naturais e culturais do Brasil. A Garupa atua no apoio a comunidades e iniciativas em três frentes: por meio de consultoria para campanhas de crowdfunding, da realização de Expedições Garupa ou da divulgação de experiências sustentáveis através do Guia do Brasil Autêntico.

Férias 2018: leve as crianças pra ver os bichos do Brasil!