São Paulo

Prototyp& combina beleza, ergonomia e durabilidade na criação de móveis

Artesanal Design Arte Decoração Sustentabilidade

São Paulo

Prototyp& combina beleza, ergonomia e durabilidade na criação de móveis

Artesanal Design Arte Decoração Sustentabilidade

Criado há sete anos, o estúdio tem a missão e o desejo de transformar em realidade os móveis dos sonhos de seus clientes

Publieditorial

Criada em 2014 pelo arquiteto, diretor de arte e designer Felipe Protti, a Prototyp& desenvolve projetos arquitetônicos, de designer de interiores e de móveis artesanais.

A marca emprega a técnica de chão de fábrica – utilizada por engenheiros, designers e arquitetos a fim de designar o conhecimento das técnicas e materiais de produção de uma fábrica. Mas, apesar do que o termo pode sugerir, todas as peças são artesanais e exclusivas, com acabamentos únicos, além da possibilidade de agregarem valor sentimental.

Catraca Livre e Eisenbahn uniram forças para criar o Guia Artesanal, um roteiro que valoriza um estilo de vida calcado no fazer, com atenção e paixão em cada detalhe.

Situada em São Paulo, na Vila Madalena, a Prototyp& utiliza o slow-design para a produção de suas peças. Ou seja, a empresa prioriza o bem estar individual de seus clientes – e de todos os envolvidos no processo de criação de seus móveis. Tendo sempre como base a sustentabilidade.

Para criar o projeto de cada mobiliário, o estúdio de criação utiliza como inspiração tanto o desejo do próprio Felipe Protti, quanto dos clientes. “A pessoa está realizando o sonho dela, a casa dela, o conforto dela. Então, a gente trabalha com momentos importantes da vida das pessoas”, declara Felipe. “Para mim é um prazer imenso ver a materialização da ideia.”

Felipe esteve, desde sua infância, envolvido no universo da arte, já que seus pais trabalhavam na indústria da moda. Isso permitiu ao criador da Prototyp& ter uma realação mais íntima com a tapeçaria, costura, modelagem e mistura de tecidos.

Além disso, a Prototyp& preza pela qualidade, ergonomia, beleza e durabilidade de seus projetos. “Eu gosto de trabalhar com a pureza dos materiais. Então a madeira sempre maciça; o tecido sempre algodão, couro. O mínimo de coisas sintéticas possíveis”, explica Felipe. “Porque o material, quando é mais puro, mais natural na essência dele, envelhece bonito.”


Artesanal Design Arte Decoração Sustentabilidade