Nuvem de gafanhotos assusta moradores na Argentina e se aproxima do Brasil

Juntos, insetos podem consumir em um dia a quantidade de pasto equivalente a 2 mil vacas

Por: Redação

O governo da Argentina emitiu um alerta de perigo na fronteira com o Rio Grande do Sul por causa do avanço de uma nuvem de gafanhotos. Os insetos destruíram lavouras por onde passaram.

Nova nuvem de gafanhotos surge no Paraguai e preocupa brasileiros

Crédito: Divulgação/SenasaA nuvem de gafanhotos chegou a Argentina na semana passada e pode chegar ao Rio Grande do Sul

A nuvem de gafanhotos vem sendo monitorada pela Senasa (Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentar) desde maio e entrou no país no dia 17 de junho pela província de Santa Fé. Dois dias depois, avançou pelo rio Paraná até Corrientes.

No mapa divulgado pela Senasa é possível ver uma faixa vermelha que representa ‘perigo’.

Crédito: Divulgação/SenasaMapa mostra avanço da nuvem de gafanhotos pela Argentina; insetos podem chegar ao Brasil

De acordo com o órgão argentino, em aproximadamente um quilômetro quadrado podem ter até 40 milhões de insetos, que consomem em um dia pastagens equivalentes ao que 2 mil vacas ou 350 mil pessoas comem.

Ameaça somente à lavoura

Os insetos não causam danos às pessoas, apenas a culturas e pastos. “As nuvens de gafanhotos podem passar por vilas ou cidades, mas não causam danos diretos aos seres humanos. Podem causar danos às culturas e aos pastos, mas não constituem um risco para as pessoas”, segundo o comunicado da Senasa.

Crédito: Divulgação/SenasaPlantação de milho destruída pela nuvem de gafanhotos

As principais regiões atingidas na Argentina são as províncias de Santa Fé, Formosa e Chaco, onde existe produção de cana-de-açúcar e mandioca e a condição climática é favorável.

Publicações nas redes sociais mostram os estragos causados pelos insetos em lavouras argentinas. As imagens são assustadores. Veja abaixo: