Tecnologia deve rastrear produtos de plástico e embalagens

Consumidores terão informações sobre o impacto ecológico de itens e ajudarão a gerar doações para fundação que trabalha com preservação

Por: Redação Comunicar erro

A WISeKey, empresa suíça de cibersegurança e de internet das coisas, fez uma parceria com a Fundação Race for Water para a criação de um programa para rastrear produtos de plástico, inclusive embalagens. O objetivo é engajar fabricantes e consumidores nos esforços para reciclagem e reduzir a poluição e a pegada plástica global.

Programa vai rastrear produtos e embalagens plásticos para incentivar cadeia de reciclagem
Crédito: Magnus Larsson/iStockPrograma vai rastrear produtos de plástico, incluindo embalagens, para incentivar cadeia de reciclagem

O Programa Race for Water (Corrida pela Água) foi anunciado em janeiro em Genebra, na Suíça.

O primeiro passo será o cadastramento dos fabricantes para que cada embalagem ou produto receba uma identidade blockchain. Trata-se de uma tecnologia baseada em criptografia. Por ser muito segura, é bastante usada por bancos e outras empresas.

Essa identidade é vinculada a um dispositivo incorporado, como QR Code, microchip NFC ou tags RFID. Na prática, essa união permite rastrear produtos e embalagens de plástico, mesmo após diversas reciclagens.

Graças a essa identidade única, todo produto poderá ser rastreado ao longo dos anos. E mesmo se já tiver sido transformado em outro.

A cada vez que um consumidor fizer a leitura de uma embalagem, o sistema entenderá que ela foi reciclada e reutilizada. Para isso, o consumidor precisará instalar um aplicativo, por enquanto ainda em desenvolvimento, da Race for Water.

Clique aqui e conheça o projeto As Melhores Soluções Sustentáveis.

Esse processo vai gerar pontos, que a WISeKey chama de “tokens plásticos”. São criptomoedas (um tipo de moeda digital), que se transformarão em doações para a Fundação Race for Water. A organização, sediada na Suíça, trabalha para preservação da água, em especial por meio de ações que evitem que plásticos cheguem aos oceanos.

O consumidor conseguirá, ainda, fazer uma leitura com seu celular. E poderá ter informações sobre o impacto ecológico do produto ou embalagem, caso este não seja devidamente reciclado.

A pontuação também será usada para conhecer as empresas que mais se esforçam com a logística reversa e a reciclagem de seus produtos. O ranking será publicado no site da Race for Water.

Sopa de plástico nos oceanos

Segundo a fundação, o equivalente a um caminhão carregado de plásticos é despejado nos oceanos a cada minuto. Do total de dejetos no mar, 80% são desse material.

Na maioria das vezes, não é possível coletar esse plástico. Isso porque, na água, ele se transforma em uma espécie de sopa.

Leia também: Ao estilo Pac Man, coletor gigante recolhe lixão no oceano

Curadoria: engenheiro Bernardo Gradin, presidente da GranBio e especialista em soluções sustentáveis.

Compartilhe: