Marca questiona falta de representatividade de caminhoneiras

Ação mostra como a presença das mulheres ao volante de veículos de transporte causa estranhamento até a corretores de texto

Por: Redação | Comunicar erro

O lugar delas é onde elas quiserem. Essa máxima vale também, claro, para o mercado de trabalho, onde muitas posições ainda são dominadas pelos homens. E foi para valorizar a atuação delas que a Volkswagen Caminhões lançou uma campanha em favor da caminhoneira.

Catraca Livre criou o projeto Causando, apoiado pelo Carrefour, para mostrar como as marcas desenvolvem e assumem causas.

Por sinal, a discrepância em termos de gênero é grande na direção dos caminhões. Nessa categoria de trabalho, as mulheres somam 6,5% do total de cerca de 3 milhões de profissionais no país, de acordo com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Prova de que existe um preconceito de gênero em relação a quem ocupa o posto está nos próprios editores de texto.

Afinal, quando alguém digita a palavra “caminhoneira”, o corretor ortográfico a interpreta como errada e sugere a troca por “caminhoneiro”.

A representatividade da caminhoneira é o foco da campanha
Crédito: iStock/RCarnerA representatividade da caminhoneira é o foco da campanha

Esse é o ponto de partida do filme da campanha da Volkswagen Caminhões, produzida pela agência AlmapBBDO. A ideia é mesmo chamar a atenção para a falta de representatividade da caminhoneira.

Espera-se que, com essa ação, a carga de preconceito em relação à presença feminina ao volante desses veículos de transporte fique pelo caminho.

Leia também: Campanha amplia a participação de mulheres na tecnologia

Compartilhe: