Dimenstein: o problema verdadeiro é a “Escola Sem Educação”

Por: Gilberto Dimenstein | Comunicar erro
2) A imaginação é muito mais importante que o conhecimento. (Albert Einstein) 3) Um raciocínio lógico leva você de A a B. Imaginação leva você a qualquer lugar que você quiser. (Albert. Einstein)

Não quero uma escola com partido.
Também não quero uma escola com doutrinação.
Nem quero uma escola que estimule a promiscuidade sexual.
Nenhum educador com bom senso é a favor da escola com partido, doutrinação ou que estimule a promiscuidade sexual.
O problema da “Escola Sem Partido” é, em primeiro lugar, achar que o ambiente escolar é um antro doutrinário e promíscuo.
Pode-se encontrar professores que não sejam professores, preferindo a política. Mas é marginal – e já existem leis e normas para coibir abusos.
Como a histeria conduz a uma premissa falsa, o remédio é ineficaz.
O problema é a Escola Sem Educação, onde não se aprendem as habilidades básicas para lidar com o mundo – a começar do português e da matemática.
Habilidades vão além das matérias curriculares tradicionais.
Habilidades significam ter autonomia de aprendizagem, refletir e ser protagonista no mundo que nos cerca, saber compreender-se e interagir.
O papel da educação é apenas um: criar seres protagonistas em suas próprias vidas. Criar mais imaginação do que conhecimento.
O que vai desde a possibilidade de ter um emprego, votar com consciência, saber alimentar-se sem risco à saúde até usar camisinha na relação sexual.
Essa é a Escola Com Educação – o resto é perda de tempo.
A Escola Sem Partido não ajuda a educação. E nem os filhos dos pais que a defendem.

Compartilhe:

Autor: Gilberto Dimenstein

Jornalista, educador e fundador da Catraca Livre.