Motorista questiona modelo se clarearia a pele por dinheiro

Por: Redação Comunicar erro

Nyakim Gatwech é uma modelo do Sudão do Sul que vive em Minnesota, nos Estados Unidos. Recentemente no Instagram, ela compartilhou uma história sobre a cor de sua pele.

Modelo Nyakim Gatwech

“Eu fui [perguntada por] meu motorista do Uber outro dia… ‘Não considere ofensivo, mas se você recebesse US$ 10 mil, você clarearia sua pele por esse valor?’ Eu nem consegui responder. Comecei a rir muito. Ele disse que, então, aquilo era um ‘não’ […] Por que diabos eu clarearia a bela melanina com a qual Deus me abençoou?”, escreveu ela.

Na foto da postagem, ela aparece com outras modelos negras como ela, vestindo peças brancas. Ela continuou: “[Então] ele disse: ‘Então você considera isso uma bênção?’. Você não acreditaria no tipo de perguntas e nos olhares que recebo por ter essa pele.”

“Eu amo cada parte de minha pele”, disse Gatwech ao Yahoo! Beauty. “Eu amo o fato de minha pele ser única e ter um único tom, e finalmente o quão macia ela é.”

NOTHING MORE ATTRACTIVE THAN A WOMAN WHO IS COMFORTABLE IN HER OWN SKIN???????????????????????????????? nothing more attractive than a woman who have confidence???????? ???? @piokky ???? @queenkim_nyakim #lovewhoyouare???? #nubianqueen???????? #skinflawless❤️ #sleflove #myblackisbeautiful???? #blackgirlmagic✨ #wearenilotic #nuergirlbeauty???????????????? #southsudanessbeauty???????????????? #melaninpoping????✨ #chocolate????????????#faahion #queenkim_nyakim #goddess

Uma publicação compartilhada por Nyakim Gatwech (@queenkim_nyakim) em

Desde a imigração para os Estados Unidos, muitas pessoas ficaram confusas quanto à cor de sua pele, disse a modelo. Ela contou que resolveu destacar sua experiência recente na internet porque achou importante esclarecer seus seguidores quanto a esse tipo de ignorância. “Ele não foi o primeiro a me fazer aquela pergunta”, afirmou. “Eu sinto necessidade de educar meus pares em vez de não dizer nada ou manter isso me irritando.”

Gatwech explica que o incrível amor que ela tem por seu tom de pele nem sempre existiu, mas que foi algo que construiu. Ela sofreu preconceito na escola e ouviu coisas do tipo: “Você é negra como o inferno, tome banho”.

Modelo Nyakim Gatwech

Ela também lembra quando um homem apostou US$ 20 com seu amigo para perguntar se ela estava usando legging ou se sua pele era realmente tão escura. “Houve um tempo na minha vida em que eu considerei branquear-me para evitar olhares sujos e risos, e para os garotos me acharem atraente”, admite.

Mas ela conclui, aconselhando outras garotas: “Você é linda, você é única, e há pessoas que te amam do jeito que você é. Dizem que quanto mais escura a cereja, mais doce é o suco. Abrace sua escuridão!”

 

Com informações do “Yahoo!

Compartilhe: