5 frases que você não deve dizer para uma pessoa com deficiência

Por: Patrícia Comunicar erro

Há quem ainda acredite que as pessoas com deficiência precisam de ajuda para tudo, são coitadinhas e nunca estão satisfeitas com nada. Se você acha que essa questão é quase um fardo, precisa voltar algumas casas e entender melhor esse universo assistindo à websérie: Somos Todos Diferentes e Todos Iguais, da Sompo Seguros.

Segundo o Ministério dos Direitos Humanos, 45 milhões de brasileiros possuem algum tipo de deficiência, por isso, o Estatuto da Pessoa com Deficiência (Lei Brasileira de Inclusão), em vigor desde 2016, garante uma série de direitos relacionados à acessibilidade, educação e saúde, além de estabelecer punições para atitudes discriminatórias.

Todas às quartas, até 18 de outubro, no YouTube e no Facebook, você acompanha diversos temas em cena: sociedade, lazer, trabalho e amor & sexo pela perspectiva de pessoas com deficiência. Os entrevistados explicam a convivência e as dificuldades enfrentadas no dia a dia. Entenda:

1. “Tadinho”

Falar isso para alguém não ajuda em nada, só atrapalha, disseminando uma sensação de piedade.  Se você acha que um pessoa com deficiência carrega um problema eterno, já pode mudar sua concepção, compreender e aprender com eles.

2. “Deve ser difícil não poder fazer nada”

Para! Isso está longe de ser verdade. A sociedade se distancia das pessoas com deficiência e quando encontra uma na rua, na praia ou na balada, acha que ela acabou de sair de casa pela primeira vez.

3. “Nossa, você é um exemplo de superação, né?” ou “Nossa, que pena”


Tem muita gente que superou muitas coisas, mesmo, mas não dá pra viver o tempo todo achando que aquela pessoa não vive normalmente. Assim como você, ela come, bebe, passeia, trabalha, se diverte e muito mais!

 4. “Não precisa de acessibilidade aqui, esse tipo de pessoa não vai frequentar o local”

Tá aí um problema que é seu, e não só das pessoas com deficiência! Quando você, um estabelecimento ou alguém limita a acessibilidade, todos nós perdemos. O deficiente fica limitado à algumas atividades, já que não existe, por exemplo, uma calçada plana e sem buracos para ir até a padaria, que fica a 200 metros da sua própria casa, como é o caso do atleta Lucas Junqueira.

5.“Você é muito bonito (a), mas não tem como ficar ou namorar alguém assim”


Quem pensa isso devia ter muita vergonha, sério! Primeiro que padrão de beleza nem deveria estar em pauta, mas isso é outro assunto. A questão é que você nem sequer deu a chance para aquela pessoa mostrar quem ela é, você não está fazendo isso direito, tá? Pense direitinho no seu preconceito antes de falar!

A websérie é o resultado da construção de uma narrativa que busca mostrar que a deficiência física é uma condição, mas não o que determina quem a pessoa é enquanto indivíduo e cidadão ativo na sociedade.

“Em outras palavras, podemos dizer que somos todos diferentes, por sermos indivíduos com identidade própria e única. Mas também somos todos iguais, porque somos seres humanos com desejos, necessidades específicas e aspirações pessoais”, considera André Gouw, gerente de comunicação e marketing da Sompo Seguros.

Não deixe de conferir e compartilhar a websérie:

Compartilhe: