Quem Inova
Quem Inova
Quem Inova
Quem Inova

Quem Inova

Alfabeto do sertão vai virar documentário

Por: Redação

Um documentário, oito seres, várias perguntas. Dezessete cidades, 8 mil quilômetros, 34 dias. Um alfabeto, 26 letras e 35 maneiras de falar. Mais do que números, o filme ‘Sertão como se fala’ quer soletrar narrativas daqueles que aprenderam a pronunciar as primeiras letras por meio do abecedário sertanejo.

A partir do dia 6 de outubro, produtores audiovisuais que vivem em Belo Horizonte deixam os limites do cerrado mineiro e avançam no mapa do sertão do Brasil para registrar histórias de um povo que lê o mundo com nove sons que se distinguem do abc convencional. São eles: ê – fê – guê – jí – lê – mê – nê – rê – sí, correspondentes às letras E – F – G – J – L – M – N – R e S. A peculiaridade foi descrita na canção ‘ABC do Sertão’, composta por Luiz Gonzaga e regravada por músicos como Geraldo Azevedo e Zé Ramalho.

O documentário vai investigar as raízes deste alfabeto e da sua difusão e vai levantar questões relacionadas às heranças culturais e identitárias do sertanejo. Para isto, vai conversar com educadores, professores, alunos, estudiosos e artistas e buscará compreender, por meio das memórias relatadas, como o modo diferente de se comunicar interferiu na formação pessoal de cada um.

A equipe de produção percorrerá, de carro, sete Estados cortados pelo sertão: Bahia, Sergipe, Pernambuco, Paraíba, Ceará, Piauí e Alagoas. Municípios como Euclides da Cunha, Canudos, Canindé do São Francisco, Juazeiro do Norte, Patos e Picos fazem parte do roteiro.

Serrinha, cidade natal do diretor do filme, o jornalista Leandro Lopes, também compõe a rota: “O Sertão é um lugar expulsivo, duro, que exige coragem de se viver. Mas quando quero contar sobre esse mesmo lugar, quero contar sobre um Sertão de fortes homens e mulheres. Falar da beleza do grandioso, da secura como elemento estético”, reflete no blog que vai abrigar diários de bordo de toda a equipe ao longo do trajeto.

O documentário vai ser realizado de maneira independente, pois ainda não possui patrocínio. Para tentar arrecadar uma ajuda de custos a equipe está promovendo uma campanha de financiamento colaborativo no site Catarse. Qualquer pessoa pode apoiar com valores a partir de R$ 10. O total almejado é R$ 62.625, relativos a gastos com hospedagem, alimentação e combustível durante a viagem.

Ao apoiar, cada doador recebe recompensas: cartões postais exclusivos que serão enviados pelo correio aos ‘caroneiros’, bolsas, camisetas, marcadores de livros, cadernos de caligrafia e ingressos para a sessão de pré-estreia do documentário.

Assista ao vídeo que contém informações sobre projeto e o financiamento colaborativo em: catarse.me/sertaocomosefala

Sertão como se fala – Campanha Catarse from Sertão como se fala on Vimeo.

Acompanhe a viagem por meio dos canais: blog, Facebook e Instagram.

Compartilhe: