Apple destaca jovens desenvolvedores; brasileiro é um deles

Por: Redação

Um evento da Apple chamou a atenção na semana passada. Pouca gente sabe, porém, que uma das pessoas mais prestigiadas dos bastidores da conferência anual WWDC (World Wide Developer Conference) foi um jovem brasileiro. Leonardo Alves de Melo, de 23 anos, criou um jogo chamado Save the Trees para conscientizar sobre o desmatamento das florestas tropicais no Brasil.

Conferência anual WWDC (World Wide Developer Conference), da Apple, acontece neste mês

Um dia antes de o CEO Tim Cook subir ao palco no evento da empresa de tecnologia, o principal executivo da Apple se misturou a um grupo muito menor de desenvolvedores dentro do Steve Jobs Theater. Ao contrário da típica multidão de programadores, as 350 pessoas consistiam principalmente de adolescentes que equilibram o desenvolvimento de apps com o dever de casa, o estudo e o ingresso à faculdade.

O grupo recebe bolsas de estudo do programa WWDC, que oferece aos estudantes e membros de organizações de todo o mundo a oportunidade de participar da conferência. Neste ano, muitas dessas bolsas foram destinadas a desenvolvedores que esperam causar impacto na saúde, na educação e em questões ambientais.

Entre eles, seis jovens criadores de aplicativos tiveram a oportunidade de conversar com Lisa Jackson, vice-presidente de iniciativas ambientais, políticas e sociais da Apple, para falar sobre suas experiências e os desafios que ainda enfrentam.

Lisa Jackson, vice-presidente de iniciativas ambientais, políticas e sociais, conversa com jovens

“Vocês são o epítome do que a Apple pensa para a App Store, esse mercado de ideias e ferramentas”, disse Jackson ao grupo. Dando uma rápida olhada em suas realizações coletivas, não é difícil entender por que a Apple está interessada em destacar as contribuições desses jovens. Veja o que eles estão criando, ao lado de Melo:

  • James Dale, 17, desenvolveu um jogo para educar as pessoas sobre os perigos da poluição do ar. Ele também orienta outros alunos a programar em sua escola, em Melbourne, na Austrália;
  • Akshaya Dinesh, 18, criou uma organização sem fins lucrativos chamada Girls Make, para ajudar a fechar a lacuna de gênero na indústria de tecnologia com programas educacionais para meninas;
  • Varun Shenoy, 16, recebeu a bolsa de estudos para um projeto destinado a ajudar as crianças a se animarem com a reciclagem. Ele também criou um aplicativo chamado BioSnap, que usa aprendizado de máquina para facilitar o rastreamento de dados médicos;
  • Amanda Southworth, 16, abandonou o ensino médio para trabalhar em tempo integral em sua empresa de desenvolvimento de software sem fins lucrativos Astra Labs. Ela criou aplicativos para ajudar pessoas com ansiedade;
  • John Wahlig, 16, criou um projeto que “explora as possibilidades do iPad para ajudar crianças com síndrome de Down e outras deficiências de aprendizagem”. Ele também criou um aplicativo para iOS para ajudar os treinadores a diagnosticar concussões.

Diariamente, o Quem Inova apresenta o talento de crianças e jovens que conceberam as invenções mais interessantes, úteis e curiosas pelo mundo.

Leia a reportagem completa no Mashable

Compartilhe: