Crianças com câncer ganham app lúdico que ensina sobre a doença

As 13 mil crianças diagnosticadas com câncer anualmente no Brasil ganham agora uma ferramenta para conhecer melhor a doença, mas de maneira lúdica, divertida e interativa: o app AlphaBeatCancer.

Tela do app que ensina sobre o câncer de maneira lúdica e divertida
Tela do app que ensina sobre o câncer de maneira lúdica e divertida

São 20 minigames, que abordam termos e procedimentos oncológicos de maneira clara e otimista. O aplicativo está disponível para Android e iOS.

Tela do app que ensina sobre o câncer de maneira lúdica e divertida
Tela do app que ensina sobre o câncer de maneira lúdica e divertida

O AlphaBeatCancer traz o caminho do tratamento, com quimioterapia e radioterapia. Apresenta ainda ultrassom, tomografia, cuidados com alimentação e rotina de higiene.

A criança participa de todo o processo. Cabe a ela, por exemplo, segurar o ursinho para que ele não se mexa durante a tomografia. Em outro, tem que pegar apenas as comidas saudáveis que caem do céu.

Tela do jogo de radioterapia
Tela do jogo de radioterapia

Um dos que faz mais sucesso, explica a fundadora e presidente do Instituto Beaba, Simone Lehwess Mozzilli, 39 anos, é a que aborda o trabalho de enfermagem. O ursinho tem que correr para atender aos pacientes – e há pouco tempo para isso.

No jogo do enfermeiro, é preciso correr para atender os pacientes
No jogo do enfermeiro, é preciso correr para atender os pacientes

“Mostramos que o trabalho do enfermeiro é corrido e que, quando a criança chama, é preciso ter paciência e esperar um pouco”, sinaliza.

Para a criação e a validação do app, participaram programadores, pacientes e profissionais da saúde, como médicos, enfermeiros, nutricionistas, psicólogos, fisioterapeutas e pedagogos, entre outros.

Glossário que faz parte do app
Glossário que faz parte do app

“Ficamos no desenvolvimento por mais de um ano.” Segundo ela, quase todos os profissionais envolvidos na elaboração do app foram voluntários.

O aplicativo foi desenvolvido pelo Instituto Beaba e a produtora de games Mukutu, com apoio da Sobope (Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica).

No jogo de fisioterapia, é preciso imitar o macaco
No jogo de fisioterapia, é preciso imitar o macaco

Apresentado no Games for Change, maior evento de jogos impactos do mundo, que aconteceu em junho de 2016 em Nova York, o app será traduzido para o inglês. A ideia é ajudar crianças de todo o mundo.

Simone adianta que deve ser lançada uma segunda versão. Quem quiser contribuir com o Instituto Beaba pode fazer doações pelo site.

Por QSocial