Projeto aborda direitos das crianças e dos adolescentes

Na celebração dos 30 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente, estudantes utilizam o audiovisual para criar conteúdos sobre o tema

Por: Redação

Um projeto que reúne alunos para falar e criar conteúdo sobre a defesa dos direitos das crianças e dos adolescentes. Essa é a intenção do “Compartilhaí”, iniciativa dos estudantes do Marista Escola Social Ecológica, que atende gratuitamente crianças e adolescentes em Almirante Tamandaré, no Paraná.

Os alunos produziram vídeos sobre o aumento da violência e do trabalho infantil neste momento de isolamento social.

direito criianças
Crédito: Jader Paes/Ag.ParáAdolescentes criam projeto para falar dos direitos das crianças e dos adolescentes

O vídeo intitulado “Preciso da sua ajuda” já alcançou teve mais de 140 mil visualizações no YouTube.

Nesta segunda-feira, 13, o Brasil celebra os 30 anos do ECA (Estatuto da criança e do adolescente), e conscientizar continua sendo uma palavra importante.

“Projetos como esse contribuem para que os jovens tenham acesso a informações necessárias e para alertar a sociedade, ações de conscientização podem ajudar no enfrentamento de todo tipo de violação de direitos”, revela Raimunda Caldas Barbosa, especialista em Serviço Social do Marista Escolas Sociais.

Isolamento social e a violação dos direitos das crianças

O projeto “Compartilhaí”, já disponibilizou os vídeos de enfrentamento da violência infantil, direito ao brincar e trabalho infantil, todos disponíveis no Youtube. Os estudantes também estão preparando um especial sobre os 30 anos do ECA, que inclui vídeos sobre racismo, padrões de beleza e os impactos do isolamento na vida dos jovens. Os temas são escolhidos pelos próprios adolescentes nas atividades online da disciplina de direitos humanos.

“A condição de distanciamento social tem agravado a situação de vulnerabilidade de crianças e adolescentes que, por muitas vezes, não contam como uma pessoa de confiança para expor a situação que enfrentam. O audiovisual nos ajuda a contar essas histórias”, explica Gillys da Silva, diretora do Marista Escola Social Ecológica.

Premiados

O projeto que tem apoio da Fundação Banco do Brasil já recebeu o Prêmio Neide Castanhas na categoria “Protagonismo de Crianças e Adolescentes”, em maio.

A premiação, que está em sua décima edição, tem como objetivo homenagear personalidades e instituições que, assim como Neide Castanha, se destacaram na defesa dos direitos humanos de crianças e adolescentes em todo o país.

O vídeo Preciso da sua ajuda está disponível na página do Facebook e canal do YouTube.

Compartilhe: