Projeto transforma a vida de 129 jovens de comunidades rurais do RS

Instituto Crescer Legal forma jovens em empreendedorismo e gestão rural com cursos de aprendizagem profissional

Por: Redação

Um ciclo se encerra para 129 jovens de comunidades rurais do interior do Rio Grande do Sul. Os jovens aprendizes foram certificados pelo Instituto Crescer Legal nesta quinta-feira, 12, em evento realizado na Tap’s Eventos, em Santa Cruz do Sul (RS).

Contratados via Lei da Aprendizagem, os meninos e meninas, com idades entre 14 e 17 anos, das comunidades rurais de Herveiras, Sinimbu, Boqueirão do Leão, Passo do Sobrado, Cerro Branco, Vale do Sol e Vera Cruz, receberam seu primeiro salário, mas sem trabalhar.

Crédito: Junio Nunes/DivulgaçãoOs jovens aprendizes foram certificados pelo Instituto Crescer Legal

Diferente do que acontece na cidade, ao invés de atuarem na empresa contratante, os jovens aprendizes se reuniram diariamente no contraturno escolar para falar sobre seus projetos de vida e desenvolverem-se pessoal e profissionalmente, vivenciando, de forma especial, práticas de gestão rural e empreendedorismo.

Com essa certificação, o Instituto Crescer Legal alcança a marca de 333 jovens formados no curso “Empreendedorismo em Agricultura Polivalente – Gestão Rural” desde que foi lançado, em 2015.

Segundo o diretor-presidente do Instituto, Iro Schünke, os resultados alcançados em tão pouco tempo são reflexo direto do interesse das empresas do setor de tabaco em oferecer oportunidades voltadas aos adolescentes do meio rural.

Crédito: Junio Nunes/DivulgaçãoDesde 2015, o Instituto Crescer Legal já capacitou 333 jovens de comunidades rurais da região de Santa Cruz do Sul (RS)

“Nossa atuação no combate ao trabalho infantil deixou muito clara a lacuna que existe no campo para os adolescentes. O instituto foi a solução encontrada para oferecer qualificação e desenvolvimento pessoal a esses jovens. As parcerias firmadas com as empresas do setor do tabaco foram fundamentais e permitiram que as atividades pudessem acontecer”, disse Iro Schünke.

Outro dado importante é a elevada taxa de conclusão do curso, de 94,7%, enquanto o índice brasileiro de conclusão na aprendizagem profissional é de 68% e na Alemanha de 75%.

Compartilhe: