Escute o disco de Dorival Barroso e Ary Caymmi

Por: Redação

Em 1958, Aloysio de Oliveira concebe o LP “Ary Caymmi / Dorival Barroso: Um Interpreta o Outro”, pela Odeon. Como o título indica, o álbum trazia composições de um mestre interpretadas pelo outro. Este foi o segundo vinil da discografia de Ary e o quinto da obra de Dorival – que representa uma oportunidade rara de ouvir o músico apenas como intérprete de sambas que não são seus.

Segundo “Dorival Caymmi: o mar e o tempo”, de Stella Caymmi, os dois artistas não chegaram a se encontrar no estúdio de gravações por causa da concorrida agenda de Ary naquele período. No entanto, mais especulações foram levantadas sobre os supostos atritos entre eles.

Quatro anos antes, em entrevista cedida a Antônio Maria da Revista da Semana, Ary dá a entender que Dorival o plagiou. O compositor, no entanto, desmente a acusação e retrata-se em uma carta enviada ao colega.

A imprensa, divertindo-se com o atrito gerando, especulou sobre o relacionamento dos dois novamente quando um samba de Ary foi substituído por um de Dorival no filme “Banana da Terra”.

Apesar dos boatos, ambos participam do projeto de Aloysio. Na capa caricata, o baiano aparece vestindo uma camisa do Flamengo – time de coração de Ary – em uma posição semelhante a dos jogadores de futebol. O mineiro, por sua vez, é retratado como um pescador, com chapéu de palha, calças arregaçadas, vara de pescar e pés descalços.

Lado 1

1. “Lá Vem a Baiana”, de Dorival Caymmi
2. “Risque”, de Ary Barroso
3. “Maracangalha”, de Dorival Caymmi
4. “Por Causa Desta Cabocla”, de Ary Barroso
5. “João Valentão”, de Dorival Caymmi
6. “Inquietação”, de Ary Barroso

Lado 2

1. “Na Baixa do Sapateiro”, de Ary Barroso
2. “Marina”, de Dorival Caymmi
3. “Maria”, de Ary Barroso
4. “Dora”, de Dorival Caymmi
5. “Tu”, de Ary Barroso
6. “Nem Eu”, de Dorival Caymmi

Compartilhe: