Publicidade

Informar

ASMR: Entenda o fenômeno do “orgasmo mental”

Por: Redação | Comunicar erro
...
Publicidade

“Orgasmo mental”. É assim que algumas pessoas descrevem a sensação de ouvir áudios ASMR – sigla em inglês para “Resposta Meridional Sensorial Autônoma”.

O fenômeno se espalhou no YouTube, no qual vídeos com diversos barulhos e ambientações chegam a centenas de milhares (ou mesmo milhões) de visualizações. A comunidade ASMR conhece diferentes sons que podem causar uma agradável sensação de formigamento no corpo, como sussurros, voz suave, toques e sons bucais. Eles são chamados de “gatilhos”.

Para aumentar a eficácia do “ASMR”, os áudios não só devem estar preferencialmente em alta qualidade como também devem ser criados com a gravação binaural; ou seja, dois microfones são usados, como se cada um deles fosse um ouvido. É isso o que dá o efeito 3D que faz você se sentir como se estivesse no centro da gravação.

Além de barulhinhos como o tilintar de objetos metálicos, alguns canais do YouTube também recriam ambientações sonoras completas. Há videos que transportam o espectador para o fundo do mar, ou para uma noite romântica em Paris ou mesmo para uma tarde de estudos em Hogwarts, a escola de bruxaria da franquia “Harry Potter” – com direito ao som da chuva, do estalar da lareira, dos murmúrios de estudantes e do lápis arranhando o papel todos combinados.

Nos comentários desses vídeos, muitas pessoas afirmam não só sentirem o “orgasmo mental” como também atingirem um estado de relaxamento. Assim, alguns youtubers fazem vídeos de longa duração, ideais para serem ouvidos antes de dormir ou em momentos de meditação. Além disso, na comunidade ASMR, há quem aponte que os áudios podem ajudar a lidar com a insônia, a ansiedade e a depressão.

Ainda assim, não existem muitos estudos científicos sobre os efeitos dessas gravações na mente e no corpo. Uma pesquisa realizada pelo Departamento de Psicologia da Universidade de Swansea em 2014 entrevistou mais de 475 pessoas que costumam ouvir áudios ASMR e concluiu: “o ASMR pode ser mais investigado como uma potencial medida terapêutica”.

Uma noção comum sobre os áudios ASMR é a de que eles têm teor sexual. No entanto, na pesquisa da universidade de Swansea, apenas 5% dos entrevistados afirmaram usar barulhos para estimulação sexual. Taylor Darling, uma das youtubers mais famosas de ASMR, defende em um de seus vídeos: “Vídeos de ASMR não têm a intenção de serem sexuais. Há vídeos que fazem conteúdo sexual intencionalmente; é o que eles querem. Mas o meu material é seguro para crianças, apropriado, e nunca sexual”.

Compartilhe:

Publicidade
Publicidade

Museu de Anatomia Humana da USP exibe peças que ensina como o seu corpo funciona

Cereja Flor: O lugar das taças de sorvetes gigantes em São Paulo

Fondue taiwanês é a próxima delícia que você tem de provar

Médica tira dúvidas sobre anticoncepcional

Refugiados se tornaram microempreendedores em um lava-rápido em São Paulo

Publicidade