CORONAVÍRUS
Loading...
Últimas notícias e tudo que você precisa saberAtualizando informações
Infectados-
Mortes-
Recuperados-

Bira, do sexteto do Jô Soares, sofre AVC e é internado em São Paulo

Bira teria tido a fala afetada, contraído uma infecção no pulmão e estaria se alimentando através de uma sonda

Por: Redação

Bira, do Sexteto de Jô Soares, sofreu um AVC e está internado em estado crítico, segundo informações obtidas pelo site ‘TV Foco’ com uma fonte que trabalha no Hospital Santa Marggiore, unidade Mooca, em São Paulo, onde ele está sendo cuidado.

bira jô soares avc hospital
Crédito: Reprodução/TVGloboBira, do sexteto do Jô Soares, sofre AVC e é internado em São Paulo

Ainda segunda a publicação, Bira teria tido a fala afetada, contraído uma infecção no pulmão e estaria se alimentando através de uma sonda, mas o produtor do músico, Beto Campos, não confirmou essa informação. Apenas disse ao site: “A família pede orações e respeito”.

Ubirajara Penacho dos Reis, 85 anos, ficou conhecido por tocar baixo elétrico no banda do Jô, que se apresentava diariamente no talk show global. O artista baiano seguia com bom humor as piadas do apresentador com seu riso peculiar.

AVC

O Acidente Vascular Cerebral (AVC), também conhecido como derrame cerebral, ocorre quando existe um entupimento ou rompimento de uma veia ou artéria dentro da cabeça, dificultando a passagem do sangue para o cérebro e provocando a paralisa cerebral.

De acordo com o Ministério da Saúde, a doença é o motivo mais comum de morte na população adulta no Brasil, ficando na 4ª posição no ranking da taxa de mortalidade entre os países latino-americanos e o Caribe e a estimativa é que em 2018 a incidência seja de 18 milhões de caso em todo o mundo.

Vale citar que existem dois tipos de AVC: o isquêmico, quando ocorre esse entupimento nas veias; e o hemorrágico, quando a veia estoura e o sangue se espalha pelo cérebro. As causas do hemorrágico podem ser a pressão alta constante, situação que a veia não aguenta e estoura, ou devido ao quadro de aneurisma, onde a parede do vaso está mais fragilizada, ficando fácil de se romper e estourar.

Atendimento rápido é essencial

Os danos são consideravelmente maiores quando o atendimento demora mais de três horas para ser iniciado.

Porém, o neurologista da Cia. da consulta, Moises Antônio de Oliveira, afirma que é importante saber que o AVC tem tratamento. “A partir do momento em que o paciente apresenta os primeiros sintomas, procure imediatamente o pronto socorro mais próximo. Quanto mais rápido for o atendimento, maiores são as chances de tratamento”, alerta. “Qualquer dificuldade de mexer um lado do corpo, ou ter a fala dificultada e a boca torta, é um motivo para ficar alerta, pois é possível reverter o quadro e evitar sequelas que podem gerar danos incuráveis”, acrescenta.

Para saber mais:

Compartilhe:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.