CORONAVÍRUS
Loading...
Últimas notícias e tudo que você precisa saberAtualizando informações
Infectados-
Mortes-
Recuperados-

Em entrevista, Nubia Oliver diz que superou vício em sexo

Por: Redação

A modelo e empresária Núbia Oliver, de 43 anos, deu uma entrevista ao programa “Câmara Record” onde relembrou a compulsão que tinha por sexo. O papo vai ao ar na próxima quinta-feira, dia 9.

Núbia disse que seu desejo por sexo era “incontrolável” e que acabou virando uma necessidade. “Dormia pensando nisso, tinha que dormir fazendo isso, acordar fazendo isso, procurar alguém para fazer isso comigo. Era sexo o tempo todo”, afirmou.

Ela explica que veio a descobrir que, na verdade, a vontade por sexo era uma questão patológica e que só se deu conta da gravidade de sua condição ao não se satisfazer após ir para a cama com muitos homens ao mesmo tempo.

A modelo Nubia Oliver
A modelo Nubia Oliver

“Quando eu vi que realmente se transformou em uma doença foi no dia em que eu tive quatro parceiros em um dia só, cheguei em casa e não estava satisfeita. A compulsão vai tirando cada vez mais o livre arbítrio da pessoa, a vontade dela decidir”.

Há quase dois anos, a modelo disse que chegou a se envolver com 400 homens e sem proteção.”Sabia o risco que estava correndo, mas não tinha responsabilidade. Era uma coisa realmente desvairada”. Hoje, Núbia comemora a superação: “Minha vida sexual hoje é boa. Ela é intensa, mas ela é boa, dentro dos parâmetros normais”.

Compulsão sexual é doença e precisa de tratamento

Confira trecho de reportagem do Minha Vida, parceiro do Catraca Livre:

Antes de começar a discutir qualquer questão a respeito da compulsão sexual, é preciso primeiro esclarecer que existe uma enorme diferença entre ser compulsivo e gostar muito de sexo. Quem alerta é a psicóloga dos Transtornos do Impulso do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo, Liliana Seger.

De acordo com ela, o fato da pessoa ter uma vida sexual intensa, de maneira alguma é um sintoma da compulsão sexual. “Ter muita vontade de transar não caracteriza um transtorno. A diferença é que o compulsivo não consegue resistir aos pensamentos e desejos, que precisam ser saciados no mesmo momento, não importando com quem”, explica.

De verdade, a compulsão sexual, definida por muitos como ninfomania, é um transtorno psiquiátrico do impulso em que o indivíduo tem pensamentos e atos obsessivos envolvendo o sexo.

Esse transtorno está intimamente relacionado à ansiedade e, não raro, a outros transtornos obsessivos compulsivos. “Quem sofre desse problema tem dificuldade de pensar e se concentrar em coisas que não estejam relacionadas ao sexo. Além disso, outra característica do compulsivo é agir por impulso, sem premeditar”, afirma.

Leia o texto na íntegra aqui.

Compartilhe:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.