Homem é curado do vírus HIV após procedimento arriscado

Um transplante de medula mudou o sistema imunológico do paciente, dando a ele a resistência contra a doença

Por: Redação

Diagnosticado com HIV em 2003, um homem inglês (que ainda não teve a identidade revelada) parece ter sido curado após um transplante de células tronco.

Cura do vírus HIV pode estar mais próxima
Crédito: IStock/mrtom-ukCura do vírus HIV pode estar mais próxima

O tratamento foi realizado por conta de um câncer, mas seus médicos decidiram buscar por um doador com uma mutação genética que resiste naturalmente ao HIV, com a intenção de fazer uma experimentação que pudesse eliminar o vírus. O teste deu certo! O transplante mudou o sistema imunológico do paciente, dando a ele a resistência ao HIV de seu doador.

Esse é o segundo caso semelhante, depois que o “paciente de Berlin”, Timothy Ray Brown, foi curado da Aids em 2007, durante um tratamento contra leucemia. Hoje, ele tem 52 anos e vive em Palm Springs, na Califórnia.

Apesar dos dois casos de sucesso, os transplantes de medula são considerados arriscados e perigosos, tanto que falharam em outras pessoas. O procedimento é sempre autorizado pelo paciente, que deve estar ciente de todos os riscos envolvidos.

De acordo com o New York Times, o clima é otimista e muitos especialistas acreditam na cura do paciente inglês. No entanto, cientistas ainda se referem ao caso como uma “remissão de longo termo”, ou seja, não há garantia de que o vírus não irá retornar ao organismo do homem.

Vale lembrar que o transplante de medula não é uma opção viável para o tratamento da Aids e que, nos dois casos em que o vírus HIV foi eliminado, o foco do tratamento era contra o câncer.

De qualquer forma, Annemarie Wensing, virologista do Centro Médico da Universidade de Utrecht, na Holanda, afirmou em entrevista ao NY Times: “Isso vai inspirar as pessoas de que a cura não é um sonho”.

Os detalhes do precedimento e os resultados do tratamento serão divulgados em uma conferência sobre Retrovírus e Infecções Oportunistas, em Seattle (EUA).

Compartilhe: