Terapeuta provoca um tabu masculino

Por: Redação

Matéria do site Metropoles, parceiro do Catraca Livre.

 

Psicóloga, terapeuta e educadora sexual, Luísa Miranda lida diariamente com dúvidas sobre o prazer que os homens sentem ao serem estimulados na região anal.
Os arrepios que ele pode ter com a estimulação anal estão diretamente ligados a uma das zonas de prazer do corpo. “A enervação do orifício externo do ânus ao ser manuseada proporciona excitação sexual. Além disso, a penetração pode estimular a próstata causando orgasmo”, explica Luísa.

“De uma forma geral, a resistência acontece de ambos os lados. Geralmente eles têm receio do que isso pode gerar no relacionamento. Como por exemplo ser considerado ‘menos homem’. Socialmente criou-se uma ligação entre sexo anal e homoafetividade, apesar de que nem toda pessoa em uma relação homoafetiva pratica sexo anal. O mais importante nesse processo é o autoconhecimento. Cabe a ele relaxar e se permitir. Além do mais, o estímulo anal pode ocorrer de várias formas, inclusive pela masturbação. O que tornaria o ato bem mais íntimo”, diz a sexóloga.

E se você já descobriu que ele gosta, deixe de lado qualquer julgamento ou preconceito, pois esses são os grandes obstáculos para vocês curtirem cada pedacinho do corpo um do outro. “A mulher, nesse caso, se se sentir à vontade, deve agir com naturalidade, aproveitando as oportunidades para falar sobre o assunto”, diz Luisa Miranda. Lembrando sempre que ninguém é obrigado a nada, então, você só deve fazer o que te der tesão — e for bom para os dois (ou três, ou quatro…), é claro.
Nada no sexo é regra. Nem todos os homens se sentem confortáveis ou desejam em receber este tipo de estimulação. Por isso, a principal dica é sempre conversar e descobrir as preferências do companheiro.
“A comunicação do casal é fundamental para que os desejos apareçam. Quando se tem intimidade, tudo flui melhor, pois há cumplicidade, amizade, parceria e amor”, resume a sexóloga. Vale lembrar também que o prazer na região anal é o mesmo para homens e mulheres.

Leia a matéria completa no site Metrópoles

Compartilhe:

Tags:#Sexo