Será que peguei alguma coisa? Como identifico uma IST?

Texto escrito por Luisa Rodrigues e publicado no Superela

Por: Superela

Vem cá e senta aqui do meu ladinho que hoje temos um assunto muito importante para conversarmos: IST. Pra esse papo, vou chamar aqui a caríssima Dra. Carolina Lázari, assessora médica em infectologia do Fleury Medicina e Saúde.

ISoquê?

IST

Pra quem tá achando que eu cometi um erro de digitação, relaxa. Tá tudo certo. IST uma sigla que significa Infecção Sexualmente Transmissível. Você deve conhecê-la como a famosa DST (Doença Sexualmente Transmissível). Mas olha, não precisa se confundir e achar que tudo vai mudar agora. É só uma questão de mudança de terminologias, e a Dra. Carolina pode nos ajudar e entender isso melhor:

“O termo IST é mais adequado do que DST. O ‘D’, de ‘DST’, vem de doença, que implica em sintomas e sinais visíveis no organismo do indivíduo. Já as ‘Infecções’ podem ter períodos assintomáticos (que podem ocorrer no caso de HIV, Sífilis, Herpes genital e Condiloma acuminado, por exemplo), ou se mantém assintomáticas durante toda a vida do indivíduo (como em casos de infecção pelo HPV e vírus da Herpes).

Além disso, a sigla IST já era utilizada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pelos principais Organismos que lidam com a temática das infecções sexualmente transmissíveis ao redor do mundo desde novembro de 2016″.

Ou seja: um dos perigos das ISTs mora aí: algumas delas podem apresentar sintomas anos depois, ou nunca apresentar. É por isso que o uso da camisinha em todos os períodos da nossa vida (e não só no carnaval) é fundamental.

Ok. Mas, afinal, como saber se você pegou, então, uma IST? 

Será que todas elas têm algum sintoma em comum? Bem, nisso a Dra. Carolina também pode nos ajudar.

Continue lendo aqui: Será que peguei alguma coisa? Como identifico uma IST?

Compartilhe: