Uso de antidepressivo na gravidez pode afetar o bebê

Estudo realizado nos Estados Unidos avalia impactos de antidepressivo durante a gravidez

Uso de antidepressivo na gravidez pode afetar o desenvolvimento do córtex pré-frontal de uma criança, avalia pesquisa – iStock/Getty Images
Créditos: iSTock
Uso de antidepressivo na gravidez pode afetar o desenvolvimento do córtex pré-frontal de uma criança, avalia pesquisa – iStock/Getty Images

Estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Colorado, nos Estados Unidos, revela que o uso de antidepressivos durante a gravidez, ou mesmo na amamentação, pode danificar o cérebro do feto ou bebê, além de aumentar seu risco de ter problemas de saúde mental no futuro. 

Segundo os resultados da pesquisa, o medicamento pode passar para o leite materno das novas mães que o tomam e, dessa forma, chegar aos recém-nascidos. Contudo, os cientistas descobriram que isso pode afetar o desenvolvimento do córtex pré-frontal de uma criança.

Entre os medicamentos avaliados está o Prozac, também conhecido como fluoxetina, aumenta os níveis de serotonina no cérebro, que melhora o humor. 

Antidepressivos e a gravidez 

O estudo é o primeiro a investigar evidências experimentais do impacto direto da serotonina no córtex pré-frontal em desenvolvimento quando o antidepressivo é tomado durante a gravidez.

As evidências levaram os pesquisadores  a considerar tratamentos não farmacêuticos para mulheres grávidas e aquelas que sofrem de depressão pós-parto.

Isso porque a serotonina está envolvida não apenas no funcionamento geral do cérebro, mas também influencia a forma como as conexões entre os neurônios mudam e se adaptam, contribuindo para a capacidade do cérebro de aprender e se ajustar.

O Prozac é um dos antidepressivos mais prescritos no mundo. É frequentemente usado porque tem menos efeitos colaterais do que outros medicamentos.